*Respondido pleo professor Reinaldo Passadori, CEO do Instituto Passadori

Existe um provérbio português que diz: Atrás duma montanha está outra. Assim como esta frase, a língua portuguesa tem outros ditados com seus significados e significâncias. No entanto, o que eu abordo neste artigo nada mais é, do que os homônimos trás e traz.

Trás - com “s” e acento, é advérbio de lugar e vem sempre introduzido por preposição. Parte posterior.

Exemplos:

Um dia a gente acorda, os livros nos acordam, um anjo nos acorda, e somos avisados: não adianta mais olhar para trás. É ir em frente ou nada.
(Martha Medeiros)

O rio que fazia volta atrás de nossa casa era a imagem de um vidro mole que fazia volta atrás de casa. Passou um homem depois e disse: Essa volta que o rio faz por trás de sua casa se chama enseada. Não era mais a imagem de uma cobra de vidro que fazia uma volta atrás de casa. Era uma enseada. Acho que o nome empobreceu a imagem.
(Manoel de Barros)

Traz - com “z” e sem acento, é conjugação do verbo trazer na 3ª pessoa do singular do presente do indicativo.

Exemplos:
O dinheiro não traz felicidade – para quem não sabe o que faz com ele.
(Machado de Assis)

Tenho paciência e penso: todo o mal traz consigo algum bem.
(Ludwig Beethoven)

Reinaldo Passadori - Professor e CEO do Instituto Passadori, especialista em Desenvolvimento Humano e Comunicação Verbal. Conferencista requisitado em seu segmento no Brasil. É autor dos livros: “Comunicação Essencial - Estratégias Eficazes para Encantar seus Ouvintes” - “As 7 Dimensões da Comunicação Verbal”; “Media Training” - Comunicação Eficaz com a imprensa e a Sociedade - Editora Gente e “Quem não Comunica não lidera” – Editora Atlas. 

Tópicos: Dicas de Português, Gramática