Aguarde...

Dicas de Português | 06/08/2013 15:05

Porquê ou por quê, qual é o certo?

Vivien Chivalski, do Instituto Passadori, de Educação Corporatica, explica de um jeito fácil quando é melhor usar "porquê" e quando o melhor é usar "por quê"

Editado por Camila Pati, de

SXC

Dúvida

* Respondido por Vivien Chivalski,  facilitadora do Instituto Passadori - Educação Corporativa

São Paulo - Saber o porquê dos porquês não é brincadeira. Muitos profissionais se atrapalham para resolver essa questão por várias razões: são palavras usadas com frequência, não entendemos a necessidade de ter tantas formas diferentes de porquês e, finalmente, diante de coisas importantes para resolver no dia a dia, isso parece secundário. 

A questão é que errar a grafia das palavras no trabalho não é opção – as pessoas podem ser cruéis: “se não sabe nem escrever, será que sabe o que está fazendo?”.

Para que você não caia em armadilhas como essa, aqui está a segunda parte da explicação do uso dos porquês. Então, vamos lá.

Porquê

Substitui as palavras razão, causa ou motivo. É um substantivo e, como tal, tem plural e pode vir acompanhado por artigos, pronomes e adjetivos. Exemplos:

Não quero saber o porquê de tanto atraso.
Não me traga seus porquês.
Certos porquês não merecem atenção.


Dica fácil: A palavra geralmente é antecedida de artigo “o” ou “um”.

Por quê

Use a expressão quando ela estiver no fim da frase. Alguns autores dizem que isso vale também quando houver uma pausa, uma vírgula, não importa que seja pergunta ou não. Exemplos:

Não aprovaram a proposta e não sabemos por quê.
Não temos o resultado da concorrência. Por quê?
Não sabemos por quê, onde e quando tudo aconteceu.

Dica fácil: O artigo pode definir o uso dos porquês. Exemplos:

Ele não veio, não sabemos por quê.
Ele não veio, não sabemos o porquê.
Eles querem entender por quê.
Eles querem entender o porquê.

Mais uma dica importante: essas regras podem ser usadas em qualquer expressão que tenha o quê forte, no fim da frase, pois toda palavra com apenas uma sílaba que seja forte e termine em “e” deve ser acentuada. Isso ocorre quando o quê é um substantivo ou quando está no fim da frase. Exemplos: Isso tem um quê de enganação (é um substantivo, pode ser substituído por “tem um toque”). Eles falaram o quê? Você não me telefonou por quê? Eles estão aqui para quê?

Para terminar, deixo uma música de Chico Buarque: 

Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
Pra você parar em casa, qual o quê!
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
Quando diz que não se atrasa
Você diz que é um operário, vai em busca do salário
Pra poder me sustentar, qual o quê!

 

Vivien Chivalski é facilitadora do Instituto Passadori - Educação Corporativa

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados