Profissionais qualificados são raros e, por isso, valorizados

São Paulo – Os salários dos profissionais de finanças devem crescer entre 5% e 10%, em média, no próximo ano. A informação parte do relatório que acompanha o Guia Salarial 2016 produzido pela Robert Half.

O papel cada vez mais estratégico ocupado por diretores, gerentes, coordenadores e analistas financeiros, contábeis-fiscais, de finanças corporativas e de tesouraria explica a valorização mesmo na crise, segundo o documento.

Profissionais destas áreas têm sentindo menos os sinais do mau momento na economia e muitas posições financeiras estão na lista de profissões e carreiras promissoras para 2016, segundo consultorias de recrutamento consultadas por EXAME.com

De acordo com o Guia Salarial da Robert Half, os maiores aumentos salariais em 2016 devem ser nos holerites dos analistas na área contábil-fiscal. O percentual projetado pela consultoria é de 11%. E, ao lado de gerentes financeiros, controllers, analistas de controladoria, analistas de tesouraria e de profissionais de auditoria, os analistas contábeis-fiscais deverão ser os mais disputados no mercado de trabalho, ainda que as contratações em finanças e contabilidade tendam à estabilidade.

Em relação ao perfil mais valorizado, a consultoria destaca, além de profundo conhecimento técnico, inglês fluente, capacidade multitarefa e perspicácia comercial e empresarial. Profissionais qualificados são raros, segundo 59% dos CFOS entrevistados pela em recente pesquisa também realizada pela Robert Half.

Confira, nas fotos, os salários praticados agora e projetados para 2016 para 24 cargos na área de finanças.

Tópicos: Carreira e Salários, Carreira, Pesquisas, Salários