São Paulo - Decidir qual concurso público você deve prestar é uma aposta de alto risco: se você fizer uma má escolha, dinheiro, horas de estudo e muito suor serão desperdiçados.

Por isso, não é recomendável se inscrever num processo seletivo apenas por um fator, como o salário previsto para a vaga.

"Para conseguir passar horas estudando, o candidato precisa se motivar por outras razões que não apenas a remuneração”, afirma Rodrigo Menezes, diretor do site Concurso Virtual.

Segundo ele, é necessário avaliar um conjunto de variáveis na hora de escolher as oportunidades a que se deseja concorrer. O principal é a afinidade com o trabalho.

“Sendo aprovada, a pessoa passará um terço do seu dia trabalhando com aquilo”, explica. “Se for algo incompatível com o seu perfil, a frustração será inevitável”.

Outro erro grave na hora de selecionar concursos é, justamente, não selecionar. Segundo Menezes, muitos candidatos prestam um número excessivo de provas simultaneamente. “O risco é perder o foco e acabar não passando em nenhum exame”, explica.

Participar de vários processos ao mesmo tempo só vale se as vagas forem de campos correlatos. “Dentro de cada área, como a bancária ou a fiscal, por exemplo, existe uma espinha de matérias comuns”, afirma o diretor. "Você pode aproveitar esse estudo para várias provas, mesmo que depois precise buscar as matérias específicas de cada uma".

A prova na balança
De acordo com Menezes, as características específicas de cada exame também devem ser levadas em conta. "Disciplinas cobradas, grau de dificuldade e concorrência, tudo isso deve ser colocado na balança", diz o diretor.

Essas particularidades pesaram muito para a escolha de Christiano Monteiro, que estuda para a seleção do INSS. Ele diz que escolheu o concurso pela sua experiência com o exame.

“Como estudo desde 2013, também considerei o fato que já tenho o conhecimento das matérias básicas cobradas na prova, como português e direito administrativo”, diz o aluno do site Concurso Virtual. 

Já para Fabiane Lopez, aluna do Universo do Concurso, os parâmetros foram diferentes. Para ela, a relação candidato/vaga ajudou a escolher o processo em que ela teria mais chances de aprovação. 

“Estava há muito tempo sem estudar para nada”, explica a aluna, que também vai prestar o concurso do INSS. “Quando decidi prestar, minha primeira preocupação foi com o tempo de preparo até a data da prova”.

Tópicos: Carreira e Salários, Carreira, Concursos públicos, concursos, Dicas de concursos públicos, Oportunidades profissionais, Sucesso