São Paulo – Se nesta noite de sexta-feira você for a um happy hour com seus amigos em um bar, ao dar o primeiro gole de uma cerveja, pense que aí pode estar a chave de uma carreira de sucesso.

Se trabalhar no mercado cervejeiro é algo que nunca passou pela cabeça, saiba que esta é, sim, uma área para lá de promissora. “Nos últimos 20 anos, no mercado de bebidas (alcoólicas e não alcoólicas), o de cerveja é o que mais cresceu”, diz Túlio Rodrigues, coordenador do curso sobre Administração dos Negócios da Cerveja, do Programa de Educação Continuada (PEC) da Fundação Getúlio Vargas.

Ele usa como base o consumo da bebida per capita no Brasil, terceiro maior produtor de cerveja do mundo. Há 13 anos eram 35 litros anuais. Hoje são 70. Para se ter uma ideia, o consumo de vinho, no mesmo período, permaneceu estagnado, são 2 litros ao ano.

A carreira “cervejeira” tem atraído muitos profissionais, que enxergam na paixão pela bebida alcoólica preferida dos brasileiros o próximo ganha-pão. Foi o que aconteceu com Roberta Fiorini que, de jornalista passou a sommelier de cerveja, e hoje trabalha em uma importadora. 

O emprego em uma grande indústria de cervejas foi o gatilho que despertou o interesse de Roberta pela bebida que, inicialmente não fazia a sua cabeça, por achar amarga demais. “Quando esta indústria adquiriu rótulos de cervejas especiais, fui aprender mais e me encantei”, conta.

Ao sair da empresa, foi buscar o curso de Beer Sommelier na Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo (ABS). “Fui fazer por hobbie mesmo, mas no meio do curso decidi mudar de carreira e, um mês depois de formada, consegui o emprego na importadora”, diz.

Responsável pela parte comercial, ela também dá treinamentos para a equipe de vendas e sugere carta de produtos para redes de supermercado, além de participar de eventos de degustação. Feliz com a nova carreira, hoje ela adora a bebida. “E as amargas continuam não sendo minhas preferidas”, diz ela que, grávida de 5 meses, está dando a devida pausa na degustação de seus rótulos favoritos.

Mas, avisa: trabalhar com cerveja não é brincadeira. “Tem que levar a sério e se dedicar muito, como em qualquer outra profissão”, diz. O gosto pela bebida ajuda e, muito, mas não é só isso.

“A paixão é o gatilho, mas nossa missão no curso da FGV é não deixar nossos alunos serem seduzidos pelo canto da sereia”, diz Túlio Rodrigues. A alta carga tributária que pesa no setor, os obstáculos enfrentados para quem se aventura no mercado e a dificuldade de produzir um produto de excelência, são alguns dos exemplos dos gargalos na vida dos profissionais da cerveja. 

Por isso, a preparação para ingressar no setor é essencial e compensa. O salário de um sommelier qualificado chega a 5 mil reais. “É um salário interessante para um mercado novo”, diz Estácio Rodrigues, coordenador do curso Beer Sommelier da ABS. 

As opções de carreira

Além do empreendedorismo, o universo da cerveja abre um leque de possibilidades aos profissionais. Tem quem queira trabalhar mesmo como sommelier, atividade que mergulha nos estilos da bebida. Elaboração de carta de cervejas, indicação aos consumidores, harmonização e análise de sabores e aromas fazem parte do escopo de atuação do sommelier em bares, restaurantes e pontos de venda.

Outra atividade em expansão no ramo das cervejas é o beer hunting. “ É o profissional que viaja para outros países, descobre cervejas e apresenta os rótulos para as importadoras”, explica Estácio.

Consultorias para cervejarias grandes e pequenas também são a aposta de muitos profissionais da cerveja. Novos estilos, estudo de mercado e elaboração da receita, junto ao mestre cervejeiro, são algumas possibilidades.  Elaboração de portfólios de importadoras também é um horizonte profissional possível.

Mestre cervejeiro é quem faz a receita da bebida e quem melhor conhece os meandros do processo produtivo. Toda cervejaria tem o seu.

Como se preparar para as oportunidades do mercado

1 E-learning Academia da Cerveja 

A Academia da Cerveja, núcleo acadêmico da Sociedade da Cerveja, lançou no primeiro semestre de 2013 o primeiro curso online sobre a bebida. “Esse é um curso gratuito básico, muito lúdico e didático, para quem está começando a se apaixonar pelas cervejas”, diz Túlio Rodrigues.

São sete módulos: história da cerveja, ingredientes, produção, famílias e estilos, sentidos, dicas de consumo a armazenamento e copos. Para participar basta acessar o site da Sociedade da Cerveja.

2Curso de Beer Sommelier na  Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo

A primeira turma de sommeliers de cerveja da Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo começou em 2010. “Hoje já estamos na 9ª turma em São Paulo e já tivemos cinco turmas no Sul do país”, diz Estácio Rodrigues, coordenador do curso.

Os objetivos dos alunos do curso são diversos: aprimorar conhecimentos, trabalhar na área, abrir seu próprio negócio ou simplesmente aprender. “Temos desde os apaixonados aos profissionais que querem ou que já trabalham no mercado de cerveja”, diz.

No conteúdo do curso estão a história da cerveja, matérias-primas, processo de fabricação, técnicas de degustação, legislação, defeitos sensoriais, famílias e estilos de cervejas, uso de copos corretos, marketing de cervejas, cerveja e saúde, mercado e concursos internacionais de cervejas e técnicas de harmonização (teoria e prática).

Durante o curso, alunos degustam mais de 50 tipos de cerveja de todo o mundo e visitam uma micro cervejaria onde aprendem na prática como se faz uma cerveja. Informações: no site da ABS-SP – Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo 

3 Curso de Mestre Cervejeiro no Senai Rio 

O Senai Rio oferece curso técnico de mestre cervejeiro desenvolvido em parceria com a Instituição de Pesquisa e Ensino para Cervejaria de Berlim na Alemanha - Versuchs- und Lehranstalt für Brauerei in Berlin (VLB).

O curso é em tempo integral, com duração de 18 semanas e proporciona a compreensão em profundidade da tecnologia de fabricação de cerveja e sua relação com as áreas de engenharia, packaging e controle de qualidade.

Inclui visitas técnicas a cervejarias, maltarias e empresas fabricantes de insumos e equipamentos para a indústria cervejeira. Informações: no site do Senai Rio

4 Administração dos Negócios da Cerveja na FGV 

O Programa de Educação Continuada (PEC) para interessados em aprimoramento profissional, networking e numa visão prática das ferramentas essenciais ao trabalho corporativo. É ideal para quem quer gerir o próprio negócio “cervejeiro”.

“Nosso direcionamento é para o planejamento estratégico do negócio, temos os melhores profissionais do mercado como professores”, diz o coordenador Túlio Rodrigues. O público alvo é formado por empreendedores da área, varejistas, consumidores exigentes e estudiosos do tema. Informações: no site da FGV

5 Instituto da Cerveja – especializações

Para quem já é sommelier de cerveja, o instituto oferece três áreas de especialização: em estilos, em on e off flavors (análise sensorial) e em harmonização. 

A sommelier Renata Fiorini é mestre em estilos pelo Instituto da Cerveja. “As turmas são mais maduras, e as discussões são mais profundas, o legal do curso é que a gente já pode discutir de igual para igual com os professores”, diz. 

Além das três especializações, o instituto também oferece cursos introdutórios para quem ainda não é sommeliers. Informações: no site do Instituto da Cerveja