San Francisco - A Apple informou que pagou uma compensação no valor de quase US$ 378 milhões no ano passado a seu novo CEO, Tim Cook. Trata-se de um forte contraste em comparação com o salário de US$ 1 recebido pelo ex-CEO da empresa, Steve Jobs. A notícia vem a público pouco antes da primeira reunião anual de acionistas desde a morte de Jobs em outubro.

A compensação de Cook se deve em grande parte a um lote de ações restritas. Como salário, Cook recebeu quase US$ 900 mil em 2011. Ainda que tradicionalmente Jobs recebesse um salário diminuto, ele possuía uma quantidade significativa de ações da Apple.

A empresa do setor de tecnologia informou que Cook, que assumiu como CEO quando Jobs se afastou para receber tratamento médico em agosto de 2010, e Robert Iger, CEO da Walt Disney, devem ser eleitos pelo comitê da empresa, junto com seis outros diretores, no encontro anual marcado para o próximo mês. Os diretores da Apple têm mandatos de um ano.

Cook, de 51 anos, recebeu a maior parte da compensação de 1 milhão de ações restritas oferecidas em agosto, quando ele foi nomeado CEO. Ele, porém, só passará a ter o controle sobre metade dessas ações em 2016, e da outra metade em 2021.

Em novembro, o salário anual de Cook foi aumentado de US$ 900 mil para US$ 1,4 milhão, segundo a Apple. As informações são da Dow Jones.

Tópicos: Apple, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Salários, Tim Cook