São Paulo – Para passar em um concurso público, às vezes, é preciso mais do que força de vontade. A intensa rotina de estudos é essencial, mas há outros aspectos que também devem ser observados. “Se preocupar com o preparo emocional somente dois dias antes da prova é um erro, pois não dá para tomar um calmante e correr o risco de adormecer”, explica Alexandre Maia, psicólogo e autor do livro “Preparo Emocional para Passar em Provas e Concursos”.

Para Rafael Sato, coordenador do R2 Cursos Preparatórios, é importante também, por exemplo, conciliar os estudos e atividades físicas. “Principalmente em concursos em que os testes físicos são eliminatórios”, diz.

Confira abaixo outros erros praticados por concurseiros:

1. Aguardar o edital para começar a estudar

A leitura do edital é essencial para que as disciplinas a serem estudadas possam ser listadas. Entretanto, para Sato, esperar não é indicado. “Se você já tem um objetivo, procure os editais passados e já comece a estudar”, explica.

2. Estudar sem focar

Se o concurseiro não sabe qual é seu concurso alvo, Sato aconselha focar, pelo menos, nas disciplinas gerais e estudar bastante. Já que a dúvida está em quais disciplinas técnicas terá que estudar, é preciso dedicar a matérias como português e atualidades.

3. Não ter um plano de estudo

Especialistas são unânimes ao afirmar que planejar e calcular quanto tempo será gasto com cada disciplina são indispensáveis para qualquer interessado em seguir carreira pública.

4. Estudar exageradamente

“É preciso tirar um dia para se dedicar a outras atividades como, por exemplo, esportes e lazer”, recomenda Sato. Para ele, equilíbrio é a chave para passar em um concurso.

Ele alerta que dependendo do tipo de concurso, as atividades físicas precisam de dedicação, assim como os estudos.

5. Estudar mais as matérias que gosta

Odeia estudar informática? Ou direito penal? E, por isso, se esquiva delas na hora de estudar? Para Flávio Martins, diretor pedagógico dos cursos preparatórios para carreiras jurídicas do Damásio Educacional, o concurseiro tem que fazer o contrário: dedicar mais nas matérias que não tem conhecimento e que são mais difíceis, na opinião do concurseiro.

6. Estudar pensando a curto prazo

Alguns editais de concursos públicos demoram anos para serem divulgados, por isso para Maia, é preciso aprender a estudar pensando no longo prazo. “É preciso procurar técnicas de resumo e revisões para que o conteúdo não seja esquecido após um tempo”, ensina.

7. Não revisar o conteúdo estudado

Para Martins, ninguém é capaz de assimilar todas as matérias de uma vez. Para muitos, estudar um assunto de cada vez pode ser vantajoso, mas sem a revisão, este conteúdo não será lembrado depois de meses.

“Ele vai ler, ler e ler, mas aquela matéria que ele estudou no começou do ano ele não se lembrará sem uma revisão frequente”, diz Maia.

8. Não se preparar emocionalmente

“É preciso ter uma maratona de estudos e uma maratona emocional”, afirma Maia. Para ele, os concurseiros, principalmente os iniciantes, cometem o erro de só se preocuparem em estudar. “Na hora da prova, ele fica tão nervoso que não consegue se lembrar do que estudou nos últimos meses”, afirma.

Por isso, ele recomenda técnicas de respiração e atividades físicas que podem ajudar tanto no preparo emocional quanto nos estudos.

Tópicos: Carreira e Salários, Carreira, Comportamento, Concursos públicos, concursos