São Paulo - Você conhece a importância do networking - ainda mais num mercado de trabalho abalado pela crise econômica - e já tentou colocá-lo em prática diversas vezes.

No entanto, até agora, os resultados têm sido praticamente nulos para a sua carreira. O que está acontecendo?

Uma primeira explicação para o fracasso das suas tentativas pode estar num equívoco conceitual: você pensa que está fazendo networking, mas não está.

Cuidar da sua rede de contatos não é trocar cartões, bajular colegas e chefes ou participar eventualmente de um happy hour, diz Frederico Vani, diretor de recrutamento da consultoria STATO.

Do que se trata então? “Fazer networking é criar, gerir e preservar relações profissionais de tal forma que todas as partes envolvidas saiam ganhando”, define o especialista.

Na prática, isso significa se posicionar como uma espécie de intermediário do mercado: alguém que faz a ponte entre quem tem uma demanda  e quem pode atendê-la.

“Às vezes você indica algum conhecido seu para resolver o problema, às vezes é você mesmo quem faz isso", completa Marcelo Derossi, cofundador do Clube do Networking. 

No fim, o seu objetivo é ser a pessoa a quem todos recorrem quando precisam de uma solução. 

O conceito de networking está claro para você e, mesmo assim, os seus esforços têm sido em vão? Confira a seguir outras 4 possíveis explicações para o problema:

1. Você está sendo impessoal demais

Como outros povos latinos, o brasileiro valoriza muito as relações interpessoais - inclusive quando se trata de trabalho. Por isso, é importante ir além dos assuntos profissionais num café ou almoço com um novo conhecido, por exemplo.

“Aja com naturalidade, faça perguntas, quebre o gelo com alguns comentários informais sobre assuntos diversos”, explica Vani. "A criação de um vínculo pessoal é o que fará o contato evoluir".

Contudo, diz Derossi, a informalidade não pode tornar o seu discurso vago ou impreciso: na hora certa, você precisa ser objetivo e claro quanto ao que deseja em termos profissionais.

3. Você está sendo derrotado pela preguiça

Outra possível explicação para o fracasso do seu networking pode estar na quantidade de energia que você está dedicando a ele. 

Segundo Derossi, muitas pessoas só investem ocasionalmente em seus contatos - sobretudo quando precisam de algo -, e acabam perdendo o timing da relação. Para render frutos, o esforço precisa ser contínuo.

No entanto, há uma diferença importante entre persistência e insistência. “Você precisa ser obstinado até certo ponto, mas deve ter sensibilidade suficiente para não se transformar num chato”, afirma o especialista.

3. Você está passando muito tempo na internet

A tecnologia é uma aliada na gestão de contatos profissionais: redes sociais, e-mails e aplicativos de mensagens podem e devem ser usados para alcançar os seus pares.

O problema está em se entregar à conveniência da comunicação online, e marcar cada vez menos encontros presenciais.

“A internet deve ser usada como apoio para preservar contatos, mas nunca para criá-los do zero”, diz Vani. Até quando você já conhece alguém há anos, é necessário marcar reuniões cara a cara de vez em quando para reafirmar o vínculo.

4. Você está mirando os alvos errados

Você pode não estar cometendo nenhum dos erros acima, mas não será bem-sucedido se tiver uma visão míope sobre quem pode - ou não - ajudá-lo.

Isso porque você pode estar superestimando o poder de influência de um determinado conhecido, diz Derossi.

“Ter um amigo numa determinada empresa não necessariamente vai abrir as portas para você conseguir um emprego ou apresentar um projeto para a diretoria", explica. “O seu contato pode ter menos poder internamente do que você imagina”.

Tópicos: Carreira e Salários, Carreira, Dicas de Carreira, Imagem, Networking, Reputação profissional