São Paulo - Sucesso na carreira até pode não ser determinante para uma vida feliz. Mas, na maioria dos casos, a satisfação com aquilo que se faz das 9h às 18h (ou qualquer outro horário determinado para seu expediente) contribui, sim, para um cotidiano mais pleno.

Afinal, das 720 horas contidas no mês, pelo menos 220 são dedicadas (formalmente) para a sua carreira. E ter um sorriso no rosto (ou internamente) enquanto se vive cada uma delas é fundamental. 

Mas quais os fatores que contribuem para a satisfação profissional? Especialistas ouvidos por EXAME.com listam os itens indispensáveis para uma carreira mais feliz: 

1 Propósito

“A sua realização pessoal depende do seu propósito”, afirma Silvio Celestino, da Alliance Coaching. Não dá para segurar o sorriso firme no rosto (durante o expediente) quando as atividades que você desenvolve no horário comercial estão descoladas dos objetivos que norteiam sua vida. 


Sem propósitos bem definidos, por outro lado, corre-se o risco de nunca encontrar satisfação ou, no pior dos cenários, se contentar com qualquer coisa.

Definir o que você quer para a sua vida ajuda na hora de tomar decisões e evita a aflição das comparações. Afinal, nem sempre o que é bom para a carreira do colega da baia ao lado é interessante para você. 

E aqui não entram apenas propósitos mais abstratos como “mudar o mundo”. O padrão de vida financeiro que você deseja, o estilo de vida e até o tipo de relações que espera ter no trabalho entram na conta. 

2 Inspiração

Outro item essencial para a felicidade na carreira é a inspiração. DE acordo com Celestino, trabalho precisa ser inspirador e ponto. E, para isso, não importa a fonte. A inspiração pode vir do produto, dos valores da companhia ou de um colega ou chefe cheio de brilho nos olhos. 

Para ser feliz, é essencial findar o expediente com a sensação de que o dia corrido não foi em vão, que você não esteve só a correr atrás do vento e que as atividades que você desenvolveu tiveram algum sentido. E só pessoas e companhias com valores coerentes são capazes de proporcionar isso no trabalho.

3 Plenitude

Agora, de nada adianta um trabalho inspirador e coerente com seus propósitos de vida, se, na prática, suas habilidades não são empregadas plenamente. De acordo com Alfredo Assumpção, CEO da FESA, “para ser feliz no trabalho, você tem que atuar na sua plenitude”. Nem mais, nem menos. 

“Se for subutilizado, pede demissão e vai para outro lugar. Se for utilizado para além da sua capacidade, você adoece”, afirma. Em outras palavras: “Se eu tenho uma tarefa que está abaixo das minha habilidades, isso gera um tédio danado. Se está além das minhas competências, gera stress”, diz Celestino. 

4  Desafio

Mas ao mesmo tempo, o trabalho que traz satisfação também traz uma dose diária de desafio. Não do tipo que enlouquece, claro. Mas do tipo que faz crescer, que empurra você para frente e não deixa a sua vida profissional empacada no meio do caminho. 

Tópicos: Ascensão profissional, Comportamento, Dicas de Carreira, Flexibilidade no trabalho, Inteligência emocional, Oportunidades profissionais