São Paulo – Se em um primeiro momento é a sua capacidade técnica que o leva a se destacar, a sua habilidade comportamental é essencial para encurtar o caminho até o topo da trajetória de carreira.

E é nesse ponto que entram em cena algumas regrinhas fundamentais de etiqueta profissional. Respeitá-las, diz Maria Aparecida Araújo, proprietária da Etiqueta Empresarial Executive Manners Consulting, facilita a convivência com pares, chefes e subordinados e vai colocá-lo na rota mais curta até uma promoção de cargo. 

Por isso, EXAME.com reuniu os principais conselhos dos especialistas em relação a este tema. Confira:

1 Respeito

“A regra de ouro é tratar o outro como gostaria de ser tratado”, diz Maria Aparecida. Ou seja, não faça nunca para o outro o que não quer que seja feito para você. E isso vale para todo os níveis de interação: vertical para cima ( relação com chefes), horizontal ( relação com pares) e vertical para baixo (com seus subordinados). 

Olhar nos olhos de uma pessoa enquanto ela fala com você, em vez de continuar mexendo no celular, é também um sinal de respeito, de acordo com Fabiana Góes, da Search. “ Hoje em dia, com tantas tecnologias, parar para prestar atenção quando falam com você é também um regra de etiqueta”, diz.

2 Privacidade

Você provavelmente passa mais tempo do dia com o pessoal do escritório do que com seus familiares e amigos. “Mas isso não dá o direito de invadir a privacidade deles”, diz Maria Aparecida.

Espere a iniciativa do colega de contar algo pessoal, não force nenhuma situação e evite fazer perguntas invasivas. Ao notar que algo não vai bem, coloque-se à disposição para conversar, se quiser, mas sempre espere a outra pessoa tomar a iniciativa. “Tudo vai depender do tipo de relacionamento que há entre os colegas”, diz Fabiana. Quanto maior o grau de intimidade, maior abertura para entrar em determinados assuntos.

“Uma pessoa que invada a privacidade de outra no ambiente de trabalho vai ser vista como indelicada, inconveniente, e pode ser preterida em uma promoção”, diz Fabiana. 

3 Cuidado com apelidos

Alguns podem considerar esta regra um pouco radical, mas, de acordo com Maria Aparecida, não é recomendável criar apelidos para as pessoas. “Apelido ou a pessoa se dá, ou ninguém dá”, diz ela, lembrando que bullying corporativo existe e é, sim, uma grande preocupação nas empresas. 

4 Atenção às brincadeiras

É claro que ninguém deseja trabalhar em um ambiente de atmosfera pesada, mas há um limite para o uso do humor durante o expediente, de acordo com Maria Aparecida.

“Piadas obscenas e palavrões podem fazer com que pessoas se sintam agredidas”, diz ela. Lembre-se da diversidade que há em um escritório, em que pessoas de diferentes formações culturais e crenças convivem. “O ambiente de trabalho deve ser alegre e descontraído, mas não se pode perder o limite”, recomenda. 

5 Disposição para ajudar

A boa vontade em ajudar os colegas de trabalho rende bons frutos durante toda a trajetória de carreira. Se alguém já o ajudou em um momento difícil é certo que você carrega esta lembrança e estará sempre disposto a retribuir o auxílio oferecido, mesmo que já tenha se passado um bom tempo. “Espírito de servir é fundamental para que o profissional se destaque”, diz Maria Aparecida.

Para Fabiana Góes, da Search, a disposição em ajudar traz inúmeros benefícios. “O profissional vai criando relação de confiança e estabelecendo parcerias”, diz.

6 Sem derrotismo

Esqueça frases do tipo: “não dou conta de fazer” ou “é muito difícil”. Em vez de encarnar de antemão o derrotismo, aposte na capacitação para enfrentar desafios profissionais. “Pegue a tarefa difícil, pesquise e dedique-se porque certamente sairá mais capacitado depois disso”, diz Maria Aparecida.

7 Prometeu? Cumpra

“Ninguém é obrigado a prometer, mas ao fazer, cumpra”, diz Maria Aparecida. Para isso, procure sempre avaliar bem prazos que são possíveis para suas entregas. 

É preferível dizer que o relatório ficará pronto em três dias a prometê-lo para o fim da tarde e não honrar o compromisso. Isso vale para horários também, lembra Fabiana. Pontualidade é importante.

8 Equilibre o tom de voz

Quem nunca teve um colega cuja voz ecoava em todo o ambiente? Hoje em dia, são raras as salas individuais e por isso o equilíbrio no tom de voz é importante para não incomodar as pessoas. 

“O som se propaga com mais facilidade em ambientes abertos”, diz Maria Aparecida. Mas, lembre-se de que a regra é o equilíbrio. Falar baixo demais também não é uma boa pedida. 

No entanto, atente também à cultura da empresa, recomenda Fabiana. “Em um ambiente culturalmente informal, falar um pouco mais alto não é deselegante”, diz.

9 Respeito à pausa do almoço

É o momento propício para dar telefonemas pessoais, marcar consultas médicas e conversar com os colegas sobre amenidades. “O profissional deve evitar tirar a atenção de colegas durante o horário de expediente, por isso, assuntos não relacionados ao trabalho podem ser tratados durante o almoço”, diz Maria Aparecida. 

Ficar falando de trabalho, resolvendo pendências com colegas durante a hora do almoço também é algo que pode incomodar. Evite trabalhar enquanto almoça para não ser o chato de quem ninguém quer a companhia durante as refeições. Antes de continuar, confira a dica deArtur Zular, diretor científico do Instituto Qualidade de Vida, para a hora do almoço:

10 Não “agredir” o olfato de ninguém

Atenção adeptos da aromaterapia: não é todo mundo que gosta de incenso, ou de velas perfumadas. O mesmo vale para quem adora tomar um banho de perfume antes de começar o dia de trabalho, segundo Maria Aparecida.

11 Tratar muito bem os fornecedores

“Um fornecedor que é bem tratado em uma empresa vai se transformar um propagador positivo dela”, diz Maria Aparecida. Portanto, toda a atenção e excelência no serviço prestado aos clientes externos devem se estendidas aos fornecedores. 

12 Ter noção de hierarquia 

Mesmo que os líderes da sua empresa sejam acessíveis e mantenham a porta aberta de suas salas, mantenha a noção de hierarquia. Não passe por cima do seu gestor direto e vá falar com o chefe dele, isso pode criar problemas para você. Antes de sair puxando assunto no corredor com o presidente da empresa, espere que ele tome a iniciativa, indica Maria Aparecida. 

Tópicos: Carreira e Salários, Carreira, Comportamento, Etiqueta no trabalho, Sucesso