Super-herói não existe entre executivos, diz Laís Passarelli

Laís B. Passarelli, sócia da Passarelli Consultores, revela suas opiniões. Ela tem 25 anos de experiência em recrutamento

O que mudou no mercado de busca de executivos nos últimos 25 anos? 

Laís B. Passarelli – A forma mudou muito: num mundo sem celular, internet e redes sociais, o processo era mais lento e difícil. Essa facilidade atual trouxe um maior alcance para procurar candidatos globalmente. Nosso trabalho como headhunters não é mais somente encontrar o executivo que nossos clientes procuram, mas fazer uma avaliação aprofundada da experiência e de competências do profissional, dos valores e da cultura de ambos os lados. 

Ao longo de sua experiência, o que realmente faz um profissional aceitar uma nova oferta de trabalho?

Laís B. Passarelli – Depende da fase de vida. Certamente os executivos que têm uma função gerencial visam alavancar a carreira ao fazer uma mudança. Para posições mais seniores, como CEO, a preferência tem sido buscar um projeto no qual se identifiquem e que possam deixar um legado. 

As empresas pararam de buscar “super-homens” para comandar seus negócios ou o perfil demandado continua sendo algo muitas vezes “fora da realidade”?

Laís B. Passarelli – As empresas estão mais realistas. Está claro que um super-herói ou uma super-heroína não existe no mundo executivo. O que, de fato, as empresas procuram são líderes, que inspirem as pessoas e conduzam seus negócios.

Vocês têm quantas posições de RH em aberto? 

Laís B. Passarelli – No momento estamos buscando dois diretores e dois gerentes seniores para a carreira de recursos humanos.

Tirando o cargo de CEO, qual executivo é mais difícil de encontrar? 

Laís B. Passarelli – Duas carreiras que têm sido desafiadoras para buscar executivos: uma é na área de finanças, controller, CFO; e a outra é na de tecnologia, CIO e CTO. Temos também dificuldade em encontrar executivos com os requisitos de tecnologia que as empresas procuram para a área de inovação. Uma das alternativas foi procurar, em conjunto com nossos parceiros internacionais, executivos brasileiros que estavam fora do país para retornar ao Brasil.