Itaú abre inscrições para trainees e são mais de 100 vagas

Marcelo Orticelli, diretor da área de pessoas do Itaú, conta que tipo de perfil de candidato deve chamar atenção na disputa

São Paulo – O Itaú começa nesta segunda-feira, 24, a receber as candidaturas para seu programa de trainee, um dos mais concorridos e aguardados por quem deseja seguir carreira em banco. As inscrições vão até o dia 4 de setembro pelo site do banco e são tanto para o Itaú Unibanco como para o seu braço de investimentos Itaú BBA. Os candidatos podem, inclusive, se inscrever para os dois.

 Para se ter uma ideia do tamanho da disputa que vem pela frente, a última seleção teve 160 candidatos brigando por cada vaga. E olha que são muitas vagas. Marcelo Orticelli, diretor da área de pessoas do Itaú, calcula que a turma de trainees para 2018 deva ter entre 100 e 140 aprovados, já que o número de oportunidades não é fixo. “Se aparecerem 180 com o perfil que a gente busca, o número pode mudar, o que não muda é régua”, diz.

Se a lista de pré-requisitos acadêmicos é pouco excludente – compreende cursos de exatas e humanas, graduação entre dezembro de 2015 a dezembro de 2018 inglês avançado – a de características de comportamento é bem específica.

“Temos uma diversidade de áreas no banco então temos diversidade de áreas de formação procuradas”, explica Orticelli. Antes de lançar o programa, na etapa de planejamento, o executivo percorreu departamentos para entender qual é a necessidade de cada área.

Economia, administração e engenharia são, obviamente, as que prevalecem no banco e com oportunidades em quase todas as áreas, mas há necessidade por outras formações: psicologia, comunicação, relações internacionais, matemática, física, cursos de tecnologia, análise de dados, design gráfico.

Muito mais do que jovens do curso X ou Y, Orticelli quer pessoas que aprendam rápido. A competência, aliás, tem tudo para se transformar numa das principais habilidades avaliadas em seleções de emprego, conforme explicou a diretora de RH do ManpowerGroup a EXAME.com.

“Um dos principais requisitos é a capacidade de aprendizado.  Velocidade para assimilar novos conhecimentos, com disposição para trabalho em equipe e capacidade de se relacionar. Ninguém faz nada sozinho aqui no banco”, diz.

Por se tratar de programa de formação de liderança, esse é um ponto fundamental na análise da equipe de seleção do Itaú. Vai chamar atenção quem conseguir demonstrar habilidades de comunicação, influência e potencial de liderança de pessoas e projetos.

“Não significa ser extrovertido. Há espaço para os dois. Mas os introvertidos também precisam demonstrar capacidade de dialogar e debater”, diz.  Falar inglês é “muito desejável” e o nível avançado é um dos pré-requisitos, mas se o jovem provar que tem todas essas características comportamentais e o inglês não for tão bom assim, Orticelli garante que ele segue no páreo.

Etapas da seleção

A corrida começa online. Testes de inglês raciocínio, lógico e conhecimentos gerais são o primeiro filtro de candidatos que tiverem sua inscrição validada. Quem for bem nas provas, também participa de um desafio para resolução de problema ou ligado a uma questão de mercado financeiro ou digital.

É aí que a equipe começa a investigar se o candidato combina com o jeito de trabalhar do Itaú. “No case, fazemos uma leitura para identificar se aquele candidato casa com a nossa cultura, que é um dos pontos fortes de atração do banco”, diz Orticelli.

Na etapa seguinte, gestores e RH acompanham o candidato na resolução individual de um case de negócios. Os finalistas serão entrevistados pelos executivos do banco e a turma de 2018 começa a trabalhar em janeiro na sede o Itaú São Paulo, em janeiro.

Os principais atrativos do programa

A chance de conhecer de perto os principais executivos e a operação do Itaú é um dos principais atrativos do programa, na opinião de Orticelli, que também um ex-trainee do banco. O executivo, que trabalha há 29 anos no Itaú, também cita o interesse dos candidatos nos treinamentos oferecidos.

“Mais do que pensar em plano de carreira, os jovens pensam em como adquirir conhecimento e networking. Eles também querem exposição, autonomia e desafio. Querem ser testados”, diz ele, garantindo que o programa reúne todos esses quesitos.

As oportunidades de crescimento também são “gigantescas”, segundo o executivo. “ Minha própria experiência no banco mostra isso. Hoje estou no RH, mas já trabalhei na área de planejamento, de risco, na ouvidoria”, conta.

De acordo com ele, você entra no banco e começa a “correr” em uma pista, mas nada impede que você vá para outros caminhos. “ Temos uma diversidade de áreas, de desafios e de projetos”, diz.

SERVIÇO

Programa de trainee Itaú: Itaú-Unibanco e Itaú BBA

Inscrições: a partir das 12h de 24 de julho e até 4 de setembro pelo site de carreiras do banco

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luís Ferracini

    A Revista Exame e a Empresa Catho afirmam que quem fala inglês vale 61% a mais, em média, do que quem não fala inglês e eles também afirmam que o número de pessoas desempregadas é muito maior entre os que não falam inglês. Encontrei um método para APRENDER INGLÊS (http://bit.ly/2sXQbcP) que mostra como em 8 SEMANAS você pode ter o resultado que levaria 5 anos para alcançar em outras escolas de inglês. Fantástico!