Faça isto quando alguém visualizar seu perfil no LinkedIn

Diferentemente do Facebook, o LinkedIn revela quem são os seus "stalkers". Veja como usar essa informação para impulsionar a sua carreira

São Paulo — Ao contrário de outras redes sociais, como o Facebook, o LinkedIn permite que o usuário saiba quem visualizou o seu perfil.

A não ser que você tome a iniciativa de alterar as suas configurações de privacidade. Nesse caso, você se torna um visitante “invisível” das contas alheias, mas também não pode saber quem acessou as suas informações.

No caso da maioria, porém, a lista dos visitantes permanece à disposição do usuário. Se por um lado a informação agrada aos mais curiosos, é necessário perguntar: você sabe exatamente o que fazer com ela?

Ter esses nomes em mãos é mais valioso do que você imagina. Eles indicam pessoas que se cativaram por alguma característica sua — uma oportunidade que você pode e deve usar para impulsionar o seu networking, diz um artigo do site “The Muse”.

A melhor estratégia para explorar essa informação depende do seu objetivo atual de carreira. Confira a seguir três situações possíveis:

1. Você está procurando emprego

Estabelecer novas conexões é fundamental para quem busca trabalho. Daí a importância de analisar cuidadosamente quem esboçou interesse por você. Com um detalhe essencial: evite transparecer ou entusiasmo exagerado pela visita de um headhunter ao seu perfil.

A melhor tática é ser paciente e não deixar que a ansiedade faça você mandar uma mensagem cheia de expectativas ou mesmo um pedido de conexão. A dica do site “The Muse” é enxergar a visualização como uma etapa no processo de recrutamento, e só. Se o headhunter não se comunicar diretamente com você, não faça nada.

Se mesmo assim você quiser mandar uma mensagem para ele, saiba que esse contato precisa respeitar certas regras. “Faça uma abordagem delicada nas suas mensagens, seja sincero quanto às suas intenções e não insista se não receber uma resposta após algumas tentativas”, diz Alexandre Ullmann, diretor de RH do LinkedIn,a EXAME.com.

A situação é diferente quando o seu perfil é visitado por uma pessoa que trabalha na empresa dos seus sonhos. Respire fundo e tome o cuidado de checar, no site da companhia, se aquele profissional de fato ainda está lá. 

Em caso positivo, vá até a seção “Trabalhe conosco” da empresa e se candidate a uma vaga adequada às suas características. Depois, volte para o perfil daquela pessoa e mande um pedido de conexão com uma mensagem personalizada. O site “The Muse” sugere um modelo:

Olá, João!

Que bom poder me conectar com você por aqui!

Vi que você trabalha como diretor de projetos na Empresa X. Recentemente me candidatei a uma vaga para a posição de gerente de contas lá, e adoraria saber mais sobre a oportunidade. Parece ser um ótimo lugar para se trabalhar!

Um abraço,

Maria

2. Você está procurando “freelas”

Aqui, a abordagem pode ser um pouco mais direta. Se uma pessoa que visualizou o seu perfil tem chances de oferecer um trabalho extra para você, mande uma mensagem simples se apresentando. Mais tarde, você pode se colocar à disposição para eventuais projetos.

A mensagem que acompanha o pedido de conexão precisa ser curta, simples e direta, até porque o LinkedIn só permite acrescentar ao convite um recado de até 300 caracteres. Depois que a conexão tiver sido aceita pelo outro, as conversas podem ser mais longas e complexas.

Por ora, a sua mensagem pode ser parecida com a seguinte, sugerida pelo “The Muse”:

Olá, Pedro! Como vai?

Meu nome é Maria, faço trabalhos freelancer como designer de logomarcas. Vi que você trabalha no departamento de marketing da Empresa Z. Admiro muito o trabalho de vocês, então achei que poderíamos nos conectar por aqui!

Espero manter contato em breve!

Um abraço,

Maria

3. Você só quer expandir a sua rede

A sua situação profissional está relativamente estável e você não procura nem um novo emprego e nem um novo freela? Ainda assim, há bons motivos para investir em networking dentro e fora do LinkedIn.

Se o profissional que visitou o seu perfil parece interessante para você, não é preciso hesitar muito antes de fazer um contato. Nesse caso, há bem menos pressão envolvida: basta ser simpático, sem esperar nada em troca.

Uma dica do site “The Muse” é analisar a página da pessoa para tentar descobrir pontos em comum entre as suas carreiras. Talvez vocês tenham frequentado a mesma universidade, por exemplo, ou se interessem por trabalhos voluntários na área ambiental. Use essas afinidades para escrever sua mensagem, conforme o exemplo a seguir:

Olá, Patrícia! Como vai?

Meu nome é Maria, sou gerente de vendas na empresa Z. Tenho interesse em expandir a minha rede de contatos profissionais (especialmente com ex-colegas da universidade X!), então pensei em mandar esse convite de conexão para você.

Espero que possamos encontrar maneiras de nos ajudar mutuamente, Patrícia.

Um abraço,

Maria

Em tempo: não mande mensagens nem convites de conexão para pessoas que não têm nada a ver com os seus objetivos. Conectar-se com pessoas aleatoriamente é perda de tempo, alerta Fernanda Brunsizian, gerente de comunicação do LinkedIn no Brasil e na América Latina. A qualidade das suas relações na rede é muito mais importante do que o mero número de contatos.