Estes são os salários no Brasil para 8 áreas de TI

Estudo da Robert Half mostra a remuneração para áreas como desenvolvimento de software, big data e telecomunicações. Confira

São Paulo — Na crise ou fora dela, qualquer empresa precisa apostar em inovação para permanecer competitiva. Essa é a principal razão pela qual diversas posições na área de tecnologia da informação seguem valorizadas no Brasil, inclusive sob o ponto de vista financeiro.

Segundo um estudo recente da consultoria Robert Half, a remuneração está em ascensão para profissionais de desenvolvimento de software e big data, com salários que podem chegar a 18 mil e 35 mil reais mensais, respectivamente.

Para Fábio Saad, gerente sênior da empresa responsável pelo estudo, o destaque da área de desenvolvimento de software se justifica, em grande parte, por um fenômeno cultural. “Hoje, as novas gerações têm o desejo de empreender, e muitas vezes fazem isso criando aplicativos para smartphones, que se tornaram onipresentes na sociedade”, explica.

Além disso, trata-se de um mercado de trabalho ainda imaturo: há muitas vagas para poucos desenvolvedores bem formados. Isso cria uma verdadeira caça pelas melhores cabeças, o que fará a remuneração da área saltar de 3% a 28% dependendo do cargo em 2017, diz o levantamento.

Carreiras ligadas ao “big data” também são especialmente promissoras. “Os dados se tornaram estratégicos para qualquer negócio”, explica Saad. As empresas precisam de profissionais capazes de ajudá-las a gerir o oceano de informações que o mundo produz todos os dias. Como o mercado também está engatinhando, ainda há mais oferta de trabalho do que mão de obra qualificada o que joga os salários para cima.

Um engenheiro de big data recebe em média entre 15 mil e 35 mil reais mensais, de acordo com a Robert Half. O cargo com maior aumento salarial projetado para o ano que vem é o de gerente de big data, com crescimento da remuneração avaliado em 15,4%.

De acordo com Saad, o perfil mais valorizado no mercado de TI é o de um profissional criativo, atento às necessidades do negócio e capaz de travar um bom relacionamento com outras áreas.

“É preciso ter apetite por inovação, mas fazer propostas aplicáveis, executáveis”, explica o gerente da Robert Half. “Você precisa ser um intraempreendedor capaz de interagir com outras pessoas e convencê-las da viabilidade das suas ideias”.

Confira a seguir a remuneração atual para 8 áreas em TI, segundo o relatório: