Elon Musk conta qual foi seu erro nº 1 como líder

Numa biografia autorizada, Elon Musk, fundador da SpaceX, do PayPal e da Tesla Motors, conta o que aprendeu em sua primeira experiência como líder

São Paulo — Elon Musk, fundador da SpaceX, do PayPal e da Tesla Motors, já foi descrito como “o novo Steve Jobs” e, diz a lenda, serviu de inspiração para a caracterização, no cinema, do personagem Tony Stark, o Homem de Ferro.

Musk é admirado por empreendedores de todo o planeta. Mas poucos sabem que ele apanhou bastante para se tornar um líder competente. O livro “Elon Musk – Tesla, SpaceX, and the Quest for a Fantastic Future” (ainda sem edição em português), de Ashlee Vance, conta essa história.

Musk, que nasceu na África do Sul, estudou no Canadá e nos Estados Unidos, onde montou sua primeira startup, a Zip2, em 1995. Foi lá que ele teve sua primeira experiência como líder de uma equipe. Em entrevista a Ashlee Vance, ele falou sobre a primeira lição que aprendeu sobre liderança:

“A primeira suposição que fazemos é que as outras pessoas vão se comportar como nós. Mas isso não é verdade. Mesmo que elas queiram se comportar como você, elas não terão necessariamente as mesmas informações e suposições que você tem em mente”, disse Musk.

“Você tem de se colocar numa posição onde você pensa: ‘Bem, como isto soaria para eles, sabendo o que eles sabem?’”, prossegue ele.

Sendo um programador brilhante e um tanto arrogante, Musk frequentemente interferia no trabalho dos engenheiros, causando frustrações:

“Eu programava muito melhor que eles. Eu ia lá e consertava o que achava de errado no código”, conta, sem nenhuma modéstia. “Houve um cara que escreveu uma equação envolvendo mecânica quântica, e ele errou”, acrescenta ele.

“Então eu corrigi aquilo para ele. E ele me odiou depois. Acabei percebendo que eu havia consertado a falha mas havia tornado a pessoa improdutiva. Não era uma boa maneira de agir.”

Musk deve ter perdido alguns engenheiros por causa desse comportamento. Mas seu sucesso em seguidos empreendimentos (sua fortuna atual é avaliada em 13 bilhões de dólares) sugere que ele acabou aprendendo a liderar de alguma forma.