É errado dizer “ambos os dois”? Há controvérsias

Estudiosos não são unânimes em relação ao tema, explica o professor de língua portuguesa Diogo Arrais

Nesta semana, recebi uma dúvida superinteressante: “Seria incorreta a expressão ambos os dois?

Em grego, em latim, em português, a palavra “ambos” tem significação dual: dois, um e outro.

Afirma assim Napoleão Mendes de Almeida: “Notemos que as próprias construções ‘ambos os dois’, ‘ambos de dois’, ‘ambos e dois’, conquanto tivessem sido usadas pelos antigos, não passam hoje de expressões vulgares que devem ser evitadas. A palavra, por si, etimologicamente, já significa dois, e deste significado não podemos apartar-nos.

Tem visão distinta o estudioso Deonísio da Silva: “Apesar de soar esquisita, a expressão ‘ambos os dois’ é gramaticalmente correta e está abonada por gente culta e bem pensante.

Para comprovar, o professor Deonísio cita trecho de Rui Barbosa: “Ambas as formas são gramaticais? São-na ambas as duas“. Cita ainda um trecho de Camões: “de ambos os dois a fronte coroada“.

E agora, leitor? Com qual uso devemos ficar? Ao utilizarmos “ambos os dois”, somos pleonásticos (redundantes). Na atualidade, os interlocutores entendem que “ambos” é o numeral “dois”.

Além disso, vale uma norma: se ambos for utilizado ao lado de verbo, o artigo não deve existir:

“Ambos estiveram no Congresso de Direito Civil.”

Caso esteja ao lado de substantivo, nome, o artigo deve aparecer:

“Ambos os advogados estiveram no Congresso de Direito Civil.” 

  O dicionário Aurélio traz um trecho interessante de Camilo Castelo Branco:  “Vivia casto como certas damas antigas casadas, de acordo com os maridos, em obséquio à pureza dos anjos de ambos os sexos.

Devemos ter cuidado com um ponto: em “anjos de ambos os sexos”, não se afirma que os anjos têm os dois sexos ao mesmo tempo. Ambos não significa “os dois juntos”.

Apesar do abono histórico, fico com a maioria: usar “ambos os dois” não é necessário.

Um grande abraço, até a próxima e siga-me pelo Twitter!

                        Diogo Arrais

@diogoarrais

Professor de Língua Portuguesa – CPJUR

Autor Gramatical pela Editora Saraiva

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Roberto Neves Almeida

    Creio que, sendo uma explicitação, em oratória ou argumentação, deverá estar entre virgulas para reforçar a conotação. Rui melhor teria escrito se assim o fosse: “São-nas ambas, as duas”