Como aproveitar as oportunidades de trabalho no Canadá

O Canadá busca profissionais brasileiros qualificados interessados em imigrar para a província de Québec. Veja como aproveitar esta chance

São Paulo – Brasileiros que trabalham nas áreas de TI, engenharia, administração, contabilidade e marketing estão na mira da província de Québec no Canadá.

Com boas perspectivas profissionais, a região promove anualmente um programa de imigração voltado para profissionais qualificados e, de preferência, que tenham até 35 anos.  Neste ano, serão aceitas até 6.300 solicitações de visto permanente por ano, recebidas de todo o mundo.

“Todo ano são milhares de novos imigrantes que chegam ao Québec”, diz Perla Haro Ruiz, assessora de prospecção e promoção do Ministério de Imigração, Diversidade e Inclusão do Québec.

Ficou interessado? “Aprender francês é o primeiro passo”, diz Perla. Neste mês, ela está no Brasil e tem percorrido várias cidades fazendo palestras para interessados em conseguir o visto permanente de residência e trabalho no país.

O foco na exigência de domínio do idioma francês, que é a única língua oficial do Québec, fica claro nos encontros, sempre lotados, realizados por aqui. “Se o profissional não fala francês, ele não vai conseguir um emprego qualificado”, afirma Perla.

A facilidade que brasileiros têm em aprender o idioma, aliás, é um dos pontos que faz com que o país seja um dos preferidos do governo do Québec na hora de recrutar profissionais para imigração na América Latina. Segundo Perla, a raiz latina comum e a fonética do português tornam, em tese, mais simples o estudo do francês para brasileiros.

Mas não é só isso. A boa qualidade acadêmica e profissional e a facilidade de adaptação dos brasileiros, também contam a nosso favor, segundo Perla. “A formação universitária brasileira é parecida com a canadense, em geral, não há necessidade de revalidação do diploma. Além disso, os imigrantes brasileiros são abertos a novas culturas e não costumam se fechar em ‘guetos’”, afirma.

Programa não garante o emprego

“Muitas pessoas se inscrevem na palestra e acham que vão sair daqui com emprego no Québec, mas não é bem assim”, diz Perla. O programa é para conseguir o visto permanente de residência e trabalho.

E, apesar de o governo do Quebec dar suporte e fornecer ferramentas de acesso a plataformas de networking e de busca de emprego, a conquista das oportunidades profissionais é de responsabilidade de cada imigrante aceito na província.

Por isso, é importante atentar à lista de profissionais mais demandados, que é atualizada, em média, a cada dois anos pelo ministério da imigração a partir de informações do mercado de trabalho da província.

Engenheiros na lista de profissões promissoras 

Entre os profissionais de engenharia, os habilitados nas áreas aeronáutica, de alimentos, civil, elétrica, de produção, mecânica e de software têm as chances mais promissoras agora no Québec.

No entanto, não basta ser engenheiro atuante no Brasil para conseguir uma vaga na mesma função por lá. O brasileiro Jayson Barretti, engenheiro de produção de 38 anos que morou e trabalhou dois anos no Québec, explica que é preciso primeiro entrar para a ordem profissional regional dos engenheiros de lá, a Ordre Des Ingénieurs du Québec (OIQ).

“Sem ser membro da ordem, só é possível trabalhar como técnico”, explica. Outras categorias profissionais, como a de contadores também possuem ordens regionais no Québec, segundo Perla.

Para conseguir a aprovação na ordem, os engenheiros passam por avaliação. Formação acadêmica, tempo de profissão, experiências mais relevantes e títulos no currículo são itens analisados.

A partir dessa avaliação, a OIQ define o número de provas que o candidato terá que fazer para ser aceito. “Eu tive que fazer duas, mas tive amigos que precisaram fazer até cinco provas”, diz Barretti. No site da OIQ é possível preencher informações e verificar, a priori, quantas provas serão necessárias para entrar na ordem. Aprovados na OIQ podem trabalhar como engenheiro júnior.

A boa notícia é que o governo do Québec dá suporte para os engenheiros estrangeiros interessados em trabalhar por lá, segundo Barretti. “Existe um programa tutorial o PAROIQ (Programa de Acesso Rápido à Ordem dos Engenheiros do Québec, na tradução da sigla em francês) que designa professores tutores para auxiliar na preparação”, diz. O programa é da cidade de Québec e  é coordenado pelo Centre RIRE, órgão de apoio ao imigrante.

TI é a área mais demandada

Carreiras ligadas à tecnologia da informação são o grande destaque no Québec. O setor, aliás, é um dos motores da economia da província, com 7,8 mil empresas instaladas por lá. São mais de 176,3 mil pessoas empregadas, sendo que 23% são imigrantes.

“E a boa notícia é que não existe ordem profissional para TI, então o imigrante pode chegar e, se arrumar emprego, já começa a trabalhar na sua área rapidamente”, diz Perla.

Os salários também são atrativos, tendo em vista o custo de vida que é um dos mais baixos entre as províncias canadenses. O salário mínimo é de 10,35 dólares canadenses por hora (26,5 reais/hora). Já a remuneração média anual é 39 mil dólares canadenses (98,16 mil reais anuais).

As jornadas semanais de trabalho variam entre 35 e 40 horas semanais e por lei, os trabalhadores têm direito a duas semanas de férias por ano e 8 dias de feriados.

Confira na tabela as carreiras em destaque em TI e o salário médio de cada uma delas, segundo informações oficiais do governo do Québec:

Carreira Salário médio anual em dólares canadenses Salário médio anual em reais
Analista e consultor de informática 68.575 172.829,57
Programador e desenvolvedor de mídias interativas 58.675 147.878,60
Engenheiro de softwares 71.465 180.113,24
Gestor de Sistemas de Informação 88.730 223.626,22
Técnico de rede de informática 55.080 138.818,12


Como conseguir o visto

O processo para conseguir o visto permanente não é rápido. São cerca de 2 anos e meio até a liberação, segundo o ministério da imigração. 

Candidatos à residência permanente passam pela avaliação do governo da província do Québec, na primeira etapa, e pela avaliação do governo federal canadense, na segunda e última etapa do processo.

Na primeira fase, critérios pessoais e profissionais são avaliados pelo departamento de imigração do Québec em um sistema que resulta em uma pontuação. Nível de domínio da língua francesa, profissão do requerente, experiência profissional, idade entre outros tantos critérios são levados em conta e somam pontos.

Recebem o certificado de aprovação – CSQ (Certificat de Sélection Du Quebec) – os candidatos que obtêm uma pontuação mínima.
Com ele em mãos, os potenciais imigrantes já começam a ter acesso a cursos virtuais sobre a língua e a cultura do Québec e plataformas de networking e busca de emprego.

Na segunda etapa, passam pela avaliação do governo federal do Canadá que solicita exames médicos e atestado de antecedentes criminais. Aprovados na segunda, e última, etapa já podem começar a fazer as malas.

Serviço:

Programa de Imigração do Governo do Québec

Informações: pelo site do Ministério da Imigração do Québec