Bom dia ou bom-dia, qual é o certo?

Diogo Arrais, professor de língua portuguesa do Damásio Educacional, explica a diferença de sentido entre as formas "bom dia" e "bom-dia"

* respondido por Diogo Arrais, professor de língua portuguesa do Damásio Educacional

Na nossa Língua, o hífen serve para gerar novos significados às expressões; serve para que não haja o entendimento literal, ao “pé da letra”. Vejamos alguns exemplos:
Caixa preta: caixa literalmente da cor preta;
Caixa-preta: gravador das aeronaves.

Cachorro quente: o animal literalmente quente;

Cachorro-quente: o famoso sanduíche.

Certamente poucas pessoas têm a curiosidade de pesquisar as expressões “BOM-DIA”, “BOA-TARDE” ou “BOA-NOITE” no dicionário. E agora? Como devo usar? Com ou sem o hífen? Depende.

O conhecido dicionário Houaiss assim registra:

 Bom-dia
Substantivo masculino: cumprimento que se dirige a alguém na parte da manhã; bons-dias.
Ex.: cumprimentou-o com um bom-dia caloroso.

Esclarece, assim também, o dicionário eletrônico Aurélio:

Bom-dia 
Substantivo masculino: saudação que se dirige a alguém na primeira metade do dia, na parte da manhã; bons-dias.
Ex.: Deu-me um bom-dia afetuoso.

Nas formas desejosas, de um dia literalmente bom, não há uso de hífen.

“Fulano passa, diz e escreve: 
– Bom dia! Bom feriado a todos!”

Havendo determinante (artigo, pronome, numeral, adjetivo), a expressão passa a ser encarada como substantivo e a situação é diferente:

“Fulano é tão mal-educado que nunca me disse um bom-dia, um boa-tarde ou um boa-noite!”
Veja este diálogo, típico dos elevadores:

Disse assim a vizinha formosa ao garoto:

– Bom dia! 
Ele responde:
– Bom dia! Melhor agora!
Ela questiona:
– Melhor agora? Por quê?
O garoto, sem-vergonha, suaviza:
– Para se ter um bom dia, literalmente bom, nada melhor que o seu bom-dia! Nada!
Ela murmura:
– Odeio esses bons-dias safados e infantis!

Mais uma vez: com determinante (artigo, pronome, numeral, adjetivo), “bom-dia”, “boa-tarde” e “boa-noite” são substantivos e usam hífen. 

Meras saudações, sem o determinante, são mensagens destituídas de hífen, uma vez que a leitura é literal.

Boa leitura a todos! 
Um abraço e até a próxima!

Diogo Arrais

Diogo Arrais
@diogoarrais
Professor de Língua Portuguesa – Damásio Educacional