Dólar R$ 3,28 0,12%
Euro R$ 3,65 -0,44%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -0,05% 63.227 pts
Pontos 63.227
Variação -0,05%
Maior Alta 22,54% JBSS3
Maior Baixa -4,09% CYRE3
Última atualização 25/05/2017 - 17:21 FONTE

As origens dos nomes de 4 flores em português

Professor Diogo Arrais explica de onde vêm os nomes de flores como hortênsia, azaleia, entre outras

Na vida, nem tudo é (ou são) flores. O verbo ser, estando entre nome no singular e nome no plural (sem que exista qualquer palavra com referência à pessoa), tem a concordância facultativa.

            Em outras palavras:

            “A solução é as taxas.” ou “A solução são as taxas.” 

            Havendo termo relacionado à pessoa e a consequente concordância obrigatória:

            “A solução somos nós.”

             Por tratarmos de flores, você sabia que a origem do termo está no latim floris (genitivo de flos) e significa “a parte mais vigorosa” e “beleza”? Vejamos algumas origens de nomes de flores:

Azaleia

            Tem a origem no latim azalea, derivado do grego azaléos, que tem o sentido de seco, árido e ressecado, como a planta que nasceria da terra seca. Em Portugal, escreve-se azálea.

Cravo

            Tem a origem no latim clauus, que significa “prego” ou “cravo”. O nome da flor foi posterior à denominação da especiaria cravo (proveniente do botão dela), de formato similar ao de um prego.

Hortênsia

            O nome desta flor chinesa é uma homenagem que o naturalista francês Commerson fez a Hortense Lepaute, nome da esposa de um amigo seu. Commerson foi quem trouxe a planta para o Ocidente, batizado por ele a princípio de “lépautia” (o sobrenome de Hortense).

Maria-sem-vergonha

            O termo, tipicamente brasileiro, foi utilizado para designar esta espécie por causa de sua facilidade de proliferação. As sementes ficam guardadas em cápsulas que, sob pequenos estímulos, explodem e se espalham para logo germinar e gerar novos exemplares.

            É interessante também saber que, por se tratar de um nome composto ligado à Botânica, a hifenização é obrigatória.

            Um abraço, até a próxima e siga-me pelo Twitter!

Diogo Arrais

@diogoarrais

Professor de Língua Portuguesa

Autor Gramatical pela Editora Saraiva