Vitória de Temer na Câmara ajuda a votar reforma, diz ministro

Dyogo Oliveira disse que era "factível" a reforma da Previdência ser aprovada até outubro

São Paulo – O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, afirmou nesta sexta-feira que as incertezas dos agentes econômicos vão ser reduzidas daqui para a frente, sinalizando que o movimento se dará após a Câmara dos Deputados barrar a denúncia por crime de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer.

Ele também disse que era “factível” a reforma da Previdência ser aprovada até outubro, como afirmou na véspera o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

“As decisões dessa semana apontam que incertezas vão sendo reduzidas”, afirmou Oliveira ao participar de evento em São Paulo.

Na quarta-feira passada, a Câmara dos Deputados rejeitou a denúncia contra Temer com o apoio de pouco mais da maioria absoluta dos deputados, na mais importante vitória desde a eclosão, em maio, da crise política deflagrada pela delação de executivos da JBS.

Agora, o governo se voltou para a agenda econômica, defendendo a votação da reforma da Previdência no Congresso Nacional o mais rápido possível.

Para o ministro do Planejamento, a votação conquistada pelo governo na Câmara esta semana dá segurança para aprovar as reformas.

Oliveira disse ainda que a economia brasileira está “em plena recuperação” e que a taxa de desemprego deve continuar no ritmo de suaves quedas até o fim do ano.