Vem Pra Rua elabora placar de votos contra e a favor de Temer

O "Mapa Afasta Temer" publicará diariamente o posicionamento de cada um dos deputados sobre a admissibilidade ou não da denúncia da PGR contra o presidente

São Paulo – Um dos principais organizadores das manifestações que pediram o impeachment da presidente Dilma Rousseff no ano passado, o Vem Pra Rua adotou estratégia semelhante para pedir o afastamento do atual ocupante do cargo, Michel Temer.

Uma semana depois de declarar publicamente seu posicionamento a favor do afastamento do presidente, o grupo anuncia a criação do Mapa Afasta Temer, com a publicação diária do posicionamento de cada um dos deputados sobre a admissibilidade ou não da denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o peemedebista, além da realização de atos de rua, marcados para agosto.

O placar vai ao ar a partir das 17 horas desta quarta-feira, 5. A ideia é pressionar os parlamentares a votarem pela autorização para que o STF dê andamento à denúncia.

A votação do parecer que será elaborado pelo relator da denúncia na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara será em sessão plenária com a possibilidade de participação de todos os deputados. Serão necessários 342 votos para que a autorização seja dada.

“Vamos focar nos indecisos porque não vamos focar apenas nos posicionamentos. Vamos ensejar ações”, disse o porta-voz do Vem Pra Rua, o empresário Rogério Chequer. “No fundo, a gente respeita mais quem toma posição do que aqueles que ficam barganhando posição. São esses que causam mais danos à democracia.”

Chequer afirmou que o Vem Pra Rua vai publicar os contatos (telefones e emails) dos parlamentares que se declararem indecisos. “Vamos fazer a divulgação dos contatos e ensejar o Brasil inteiro a entrar em contato com eles e pedir o que eles querem”, disse. Segundo ele, o Mapa vai servir tanto para a denúncia que já foi apresentada pela PGR quanto as que estão por vir.

“Os deputados têm dito que vão analisar a denúncia, mas eles não têm que entrar no mérito da denúncia. Eles só têm que votar na admissibilidade. Não cabem a eles julgar. Cabe a eles apenas decidir se o presidente será julgado ou não”, acrescentou.

Marcha

A ação é semelhante ao o que o grupo fez no ano passado, ao publicar o Mapa do Impeachment. E, também tal qual em 2016, o grupo pretende levar seus seguidores para uma manifestação de rua.

Já está agendada para o dia 27 de agosto a Marcha Contra a Impunidade e Pela Renovação, que deve ocorrer em diversas cidades brasileiras. Em São Paulo, o ato será na Avenida Paulista,mesmo local das manifestações pelo impeachment. “Será o primeiro ato pela renovação política de 2018”, resumiu Chequer.

O porta-voz do Vem Pra Rua disse que o grupo passou a apoiar o afastamento de Temer após a denúncia oferecida contra ele pela PGR, por corrupção passiva.

“A falta de governabilidade só vai piorar, e teremos seis meses úteis daqui até março. Ou aproveitamos para ter uma agenda legislativa ou o país vai ficar parado até as eleições de 2018”, disse.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. antonio ribeiro

    Precisamos ir para a rua contra Lulas, Aecios, Temer e qualquer político envolvido com a justiça. A imagem de um político tem que estar acima de qualquer suspeita.

  2. antonio ribeiro

    Chegou a hora da verdadeira justiça contra os políticos que tem ficha suja. Para isso não precisamos de STF, STE. Precisamos tão somente não votarmos mais nesses partidos
    que tem uma parte podre e não
    tomaram a decisão de extirpar o câncer. As urnas serão a nossa redenção.