Veja vídeo que pode ter confundido procuradores da Lava Jato

Juiz determinou soltura de cunhada de Vaccari após dúvidas sobre vídeo; veja as imagens

São Paulo – Diante da dúvida de quem aparece em um vídeo usado como prova para determinação de prisão, o juiz Sérgio Moro, que coordena a Operação Lava Jato, voltou atrás e mandou soltar imediatamente Marice Correa de Lima, cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Suspeita de envolvimento no escândalo de corrupção da Petrobras, Marice está presa desde a última sexta-feira. Para o Ministério Público Federal, é ela quem aparece nas imagens captadas pelo circuito de segurança de duas  agências bancárias fazendo depósitos na conta de Giselda Rousie de Lima, esposa de Vaccari.

Com base nas imagens, a promotoria sustenta que Marice teria mentido em depoimento ao dizer que nunca fez depósitos na conta da irmã. Porém, em declaração enviada à Justiça, Giselda afirma que é ela quem aparece nas imagens e que as agências seriam próximas ao trabalho e residência dela.

No despacho da decisão, Moro escreveu que não sendo ela [Marice] a responsável pelos depósitos, não mais haveria prova, pelo menos, de que teria reiterado a prática de crimes após o início das investigações.

Na última terça, o juiz prorrogou a prisão temporária de Marice. Naquele momento, ele afirmou que os vídeos apresentados não deixam qualquer margem para a dúvida de que a pessoa em questão é Marice Correa de Lima.

Segundo ele afirmou naquele momento, o mais perturbador do caso seria a prática delitiva não se encerrou com o início da fase ostensiva da operação. As imagens do circuito interno de TV da agência são datadas nos dias 02 e 06 de março de 2015, portanto, posteriores à condução coercitiva de Marice, em novembro de 2014.

Marice teve mandado de prisão temporária expedido na terça-feira da semana passada (14) quando foi deflagrada a 12ª fase da Lava Jato. Como estava fora do país, ela se apresentou à Justiça na última sexta-feira. Ela é suspeita de repassar propina da OAS para o cunhado, João Vaccari Neto.