Tribunal nega pedidos da defesa de Lula no caso do tríplex

Em um dos pedidos, os advogados do ex-presidente queriam a realização de novas diligências para a produção de novas provas no processo

São Paulo – O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) rejeitou nesta quarta-feira dois pedidos da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo em que ele é réu acusado de receber um apartamento tríplex no Guarujá, litoral paulista, como propina da empreiteira OAS, informou a corte.

A 8ª Turma do TRF-4 rejeitou por unanimidade agravos regimentais da defesa de Lula em dois habeas corpus. Em um deles, os advogados do ex-presidente pediam a realização de novas diligências para a produção de novas provas no processo.

No outro, os defensores de Lula apontavam a suposta falsidade de um email apresentado pelos advogados do ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro Filho, o Leo Pinheiro.

Os dois habeas corpus já haviam sido recusados pelo desembargador João Pedro Gebran Neto no início de junho. A defesa de Lula recorreu da decisão, que foi confirmada nesta quarta por unanimidade pela 8ª Turma.

O processo em que Lula é acusado de receber o tríplex e o pagamento do armazenamento dos bens de seu acervo presidencial como propina da OAS em troca de contratos na Petrobras já está com o juiz federal Sérgio Moro para que ele profira a sentença.