Dólar R$ 3,28 0,59%
Euro R$ 3,67 0,11%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -1,54% 61.673 pts
Pontos 61.673
Variação -1,54%
Maior Alta 7,00% EMBR3
Maior Baixa -31,34% JBSS3
Última atualização 22/05/2017 - 17:21 FONTE

Temer está derretendo e só Maia pode salvá-lo, diz líder do PT

Afonso Florence disse que PT definirá sobre candidatura ao comando da Câmara apenas na terceira semana de janeiro

São Paulo – O líder do PT na Câmara, Afonso Florence (PT-BA), afirmou que o presidente Michel Temer (PMDB) é um dos mais interessados na disputa da presidência da Casa, que ocorrerá em fevereiro de 2017.

O petista destacou que a intensificação da crise política tornou o presidente refém do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tentará a recondução ao cargo no próximo ano.

“Com tantos escândalos em torno de seu governo, Temer está derretendo. Ainda que não apoie Maia de maneira velada, Temer precisa que o Maia permaneça na presidência da Casa, porque só ele pode salvá-lo”, disse Florence.

De acordo com o líder do PT na Câmara, o peemedebista está longe de ter uma base sólida e que lhe assegure vitórias ao longo do próximo ano. Para Florence, “só Maia pode garantir que as matérias-chave do governo sejam pautadas”.

“No mandato-tampão, Maia conduziu com mão de ferro e jogou duro. Por isso, não existe qualquer possibilidade de o PT se alinhar a candidatura dele”, afirmou o petista.

Mas afinal, qual será a estratégia do PT na eleição para a presidência da Casa? Segundo Florence, tudo será definido em uma reunião marcada para 17 de janeiro.

Indagado sobre a possibilidade de o bloco de oposição apoiar a candidatura do deputado federal André Figueiredo (PDT-CE), que confirmou que participará da disputa no último final de semana, o petista disse que nada está fechado.

“Ainda não há nada decidido. Se o PDT tivesse apresentado a candidatura de André após um consenso com o bloco de oposição, estaríamos com eles. Vamos apreciar essa possibilidade”, disse Florence, descartando que o bloco de oposição a Temer pode ficar estremecido por causa da eleição à presidência da Casa.