SP registra três casos e seis mortes por febre amarela

Quatro dos casos de mortes são importados, com infecções que ocorreram fora do estado, todos em Minas Gerais

O estado de São Paulo registrou três pacientes com diagnóstico confirmado para febre amarela, um em Ubatuba, na Baixada Santista, e dois em Diadema, na Grande São Paulo.

Além desses casos, seis pessoas morreram por causa da doença, nas cidades de Assis, Bauru, Botucatu, São José do Rio Preto, Batatais e Américo Brasiliense.

O último balanço da Secretaria Estadual de Saúde cita duas mortes de casos autóctones nos municípios de Batatais e Américo Brasiliense. Os outros quatro casos de mortes são importados, ou seja, as infecções ocorreram fora do estado, todos em Minas Gerais.

Os dois pacientes de Diadema, um menino de 11 anos e um homem de 60 anos, contraíram febre amarela em viagem a Minas Gerais. Segundo a prefeitura, os dois pacientes estão curados e receberam alta médica.

Em Ubatuba, um adolescente de 16 anos contraiu a doença ao viajar para Ladainha, Minas Gerais. Ele foi para o município mineiro no dia 2 de janeiro e retornou para Ubatuba no dia 9, sendo internado dias depois. Ele recebeu alta no último dia 20 e passa bem.

A cidade de Ubatuba ainda investiga o caso de um homem de 40 anos, que esteve em Setubinha, Minas Gerais, e não chegou a ficar hospitalizado. Ele aguarda o resultado do exame.

Segundo a prefeitura, o estoque de vacinas nas regiões da Figueira, Sumaré e Taquaral esgotou. A previsão é que o atendimento volte ao normal na próxima semana, com a chegada de nova remessa de 7 mil doses.