Sistema eleitoral venezuelano é quase perfeito, diz Maduro

Segundo ele, a Venezuela é um país “profundamente democrático e tem um sistema eleitoral moderno e confiável”

Brasília – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reiterou hoje (9) a lisura do processo eleitoral que levou à sua vitória, em abril. Ao lado da presidenta Dilma Rousseff, Maduro disse que o sistema eleitoral venezuelano é “quase perfeito”, lembrando que foram auditadas 54% das mesas (eleitorais) e que, com a revisão dos votos, foi confirmado o resultado final.

Segundo ele, a Venezuela é um país “profundamente democrático e tem um sistema eleitoral moderno e confiável”.

“O nosso país, democraticamente, em 14 anos […] nós fizemos 18 eleições, construímos um sistema eleitoral quase perfeito. No dia da eleição, no mesmo dia, 54% das mesas foram submetidas a auditorias. No mais, está sendo feita [a auditagem no] restante, 99,98% de revisão. É um país profundamente democrático, que tem um sistema eleitoral moderno e confiável”, disse Maduro.

Sem mencionar as dúvidas levantadas pela oposição – liderada por Henrique Capriles, que perdeu as eleições para Maduro – ele destacou que seu mandato é legítimo. “Os venezuelanos foram às eleições e democraticamente foi confirmada a eleição. É um governo para todos. O conceito é trabalhar pela união, trabalhar por todos, por fortalecer todos os aspectos da vida social da Venezuela”, disse.

Capriles, que é governador de Miranda, um dos estados mais importantes da Venezuela, diz que houve irregularidades na eleição de Maduro. Ao mencionar o presidente Hugo Chávez, morto em março, Maduro se emocionou: “Quero agradecer a todo o Brasil por tanta solidariedade com Chávez, com essa nova América do Sul”, disse.