Dólar R$ 3,28 0,12%
Euro R$ 3,64 -0,70%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,10% 63.919 pts
Pontos 63.919
Variação 1,10%
Maior Alta 2,67% BBAS3
Maior Baixa -5,97% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 11:37 FONTE

Saúde vai financiar mais mil bolsas de residência

Serão 400 vagas de residência médica e 600 em área profissional da saúde, com ênfase nas residências multiprofissionais

Brasília - O <a href="http://www.exame.com.br/topicos/ministerio-da-saude"><strong>Ministério da Saúde</strong></a> anunciou nesta segunda-feira, 17, que vai financiar mais 1 mil novas bolsas de residência por meio do programa Pró-Residência.</p>

Serão 400 vagas de residência médica e 600 em área profissional da saúde, com ênfase nas residências multiprofissionais.

As instituições interessadas devem enviar proposta por meio do Sistema de Informações Gerenciais do Pró-Residência (Sigresidência), no site, até o dia 30 de novembro.

Podem concorrer aos editais instituições públicas estaduais, municipais e do Distrito Federal, e instituições privadas sem fins lucrativos. Federais vinculadas ao Ministério da Educação (MEC) e instituições privadas com fins lucrativos não podem participar.

Tríplice epidemia e microcefalia. Uma novidade dos editais é a priorização de propostas de programas de residência que considerem as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS) para responder demandas decorrentes da “tríplice epidemia” – zika, dengue e chikungunya – e do cuidado às pessoas com microcefalia.

Na análise das propostas, os programas de residência em regiões com maior concentração de casos da doença, segundo dados estatísticos referenciais, terão prioridade.

Outro critério a ser usado na concessão das bolsas é a área de especialização. No caso de programas de residência médica, serão priorizadas as especialidades de maior relevância para o SUS, como clínica médica, ginecologia e obstetrícia, neurocirurgia, pediatria, psiquiatria, entre outras.

Já na residência em área profissional da saúde, serão priorizadas áreas de concentração como a atenção básica/saúde da família, atenção clínica especializada com ênfase em infectologia, enfermagem obstétrica, neonatologia, reabilitação, vigilância em saúde etc.