Saab conclui venda de 36 caças ao Brasil por US$ 5,4 bi

Também foi assinado um contrato de cooperação industrial, que incluirá transferências de tecnologia à indústria brasileira

Estocolmo – O grupo sueco de armamento e aeronáutica Saab anunciou nesta segunda-feira a assinatura do contrato com o governo do Brasil para a venda de 36 aviões militares Gripen de nova geração, por 5,4 bilhões de dólares.

Saab informou que também assinou um contrato de cooperação industrial, que incluirá transferências de tecnologia à indústria brasileira nos próximos 10 anos.

A empresa sueca e o governo brasileiro “assinaram um contrato para o desenvolvimento e a produção de 36 caças Gripen NG, além dos sistemas e equipamentos relacionados”, afirma a empresa em um comunicado, que informa o valor do contrato: 39,3 bilhões de coroas suecas (5,4 bilhões de dólares).

O contrato inclui 28 aviões de apenas um motor e oito aeronaves bimotores.

A empresa sueca informou que as entregas às Forças Armadas brasileiras acontecerão entre 2019 e 2024.

O governo do Brasil escolheu o modelo sueco em dezembro, em uma disputa que incluía o caça Rafale da empresa francesa Dassault e o F/A-18 Super Hornet americano.

“Estamos orgulhosos de estar ao lado do Brasil dentro deste programa tão importante”, afirmou o presidente da Saab, Marcus Wallenberg.

“O contrato com o Brasil confirma que o Gripen é o sistema de avião de combate mais capaz e mais moderno”, declarou o diretor geral da Saab, Håkan Buskhe.

O Brasil será, ao lado da Suécia, o primeiro país a utilizar a nova geração dos caças Gripen. O contrato deve entrar em vigor no primeiro semestre de 2015.

Atualmente, o Gripen é utilizado pela Aeronáutica da Suécia, República Tcheca, Hungria, África do Sul e Tailândia.