Retirada do barco que naufragou no Lago Paranoá será concluída amanhã

O Imagination afundou no último domingo, quando funcionários do bufê, cujo proprietário era também dono do barco, participavam de uma confraternização da empresa

Brasília – Problemas com uma das boias de flutuação, que teve que ser trocada, atrasando a operação de retirada do barco que afundou no Lago Paranoá, matando nove pessoas, impediram que os trabalhos de içamento fossem concluídos hoje (27). A embarcação, que está apenas com parte da proa fora da água, só deverá ser completamente içada amanhã (28).

Segundo a major do Corpo de Bombeiros, Vanessa Malaquias, uma das coordenadoras da operação junto com o major Maximiano Luciano da Rosa, os trabalhos serão retomados às 7 horas.

“O barco está na posição vertical, o rebocador puxou bastante facilitando o nosso trabalho, amanhã, a partir das 7h, daremos continuidade ao procedimento, mantendo o mesmo número de mergulhadores. Por isso, precisamos poupá-los hoje. A intenção é colocar o barco na posição de navegação, para ancorá-lo, e levá-lo a um local privado, a apedido da Marinha, que irá, juntamente com a Polícia Civil, periciar o barco”.

O comandante da operação, o tenente-coronel Negrão, do Corpo de Bombeiros, disse que a embarcação está encalhado, mais ou menos, a 200 metros das margens do Lago Paranoá, e a 13 metros de profundidade, apenas com uma parte da proa visível.

O Imagination afundou no último domingo (22), quando funcionários do bufê, cujo proprietário era também dono do barco, participavam de uma confraternização da empresa. O bufê organizava, com frequência, festas no Lago Paranoá. De acordo com a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros, 94 pessoas sobreviveram a naufrágio.

O retirada do barco do fundo do lago é fundamental para as investigações da Polícia Civil, que terá o apoio da Marinha para descobrir as possíveis causas do acidente. A superlotação é uma das hipóteses que estão sendo investigadas para o acidente.