Restos mortais de Jango chegam a Brasília

Dilma Rousseff participa da cerimônia na Base Aérea de Brasília, ao lado da viúva do ex-presidente, Maria Tereza Goulart

Brasília – Os restos mortais do ex-presidente João Goulart, o Jango, chegou na manhã desta quinta-feira, 14, a Brasília. A presidente Dilma Rousseff participa da cerimônia na Base Aérea de Brasília, ao lado da viúva de Jango, Maria Tereza Goulart.

Os restos mortais foram exumados ontem, em São Borja, onde o corpo do ex-presidente foi sepultado em 1976. A exumação foi decidida no mês passado, em trabalho coordenado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

A chegada dos restos mortais de Jango a Brasília ocorre com prestação de honras militares e presença de altas autoridades, incluindo ministros de Estado. Estão sendo prestadas honras de recepção, assim como ocorrerá na despedida. As honras militares envolvem salva de 21 tiros, execução do hino nacional e condução do esquife com os restos mortais por militares.

Goulart, deposto em 1964 por militares que instalariam uma ditadura de 20 anos no Brasil, morreu em 1976 vítima de um ataque cardíaco. Familiares suspeitam, porém, que ele tenha sido envenenado. Isso será averiguado em Brasília.

Haverá trabalhos de caráter antropológico, de DNA e exames de caráter toxicológico. Ou seja, será feito um cruzamento dos dados obtidos após a exumação com um mapeamento de substâncias venenosas que eram usadas no Cone Sul na época. Há peritos e observadores brasileiros e internacionais participando do processo.

Jango morreu na Argentina em 6 de dezembro de 1976. Ele vivia em Mercedes, província de Corrientes, vizinha do Rio Grande do Sul. Na ocasião da morte, não foi realizada uma autópsia.

O atestado de óbito cita somente o termo “enfermedad”, ou seja, “doença”, como motivo da morte. Com a exumação, o governo quer esclarecer se o ex-presidente morreu de causas naturais, ou seja, por problemas no coração – que tem sido a versão considerada oficial até hoje -, ou se foi vítima de envenenamento, dentro da “Operação Condor”.