Relatório mostra aumento de pedido de refúgios no Brasil em 2016

Dados mostram que o número de refugiados no país subiu 9,3%, em 2016, e o de pedidos de refúgio cresceu 23,6% em comparação a 2015

Relatório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) divulgado hoje (19) mostra que aumentou o número de refugiados e de pedidos de refúgio no país em 2016.

No ano passado, foram registrados 9.689 refugiados no Brasil. Em 2015, 8.863. Já o total de pedidos de refúgio passou de 28.670, em 2015, para 35.464, em 2016.

Os dados mostram que o número de refugiados no país subiu 9,3%, em 2016, e o de pedidos de refúgio cresceu 23,6% em comparação a 2015.

O levantamento sobre refugiados no Brasil considera dados do Comitê Nacional dos Refugiados (Conare), do Ministério da Justiça, e foram antecipados em parte pela Acnur, durante encontro em São Paulo, nesta segunda-feira.

Os números oficiais só serão divulgados pelo Conare ao longo da semana.

Considerado o maior levantamento em matéria de deslocamentos no mundo, o relatório da Acnur aponta que em 2016 cerca de 65,6 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar em todo o mundo. O número é o maior já registrado.

As informações do novo relatório do Acnur Tendências Globais mostram que os dados superam os números registrados em 2015, com um aumento de mais de 300 mil pessoas forçadas a se deslocar.

De acordo com o relatório, do total de pessoas forçadas a se deslocar, 10,3 milhões são novas pessoas e cerca de dois terços (6,9 milhões) delas se deslocaram dentro de seus próprios países.

As crianças representam a metade do número total dos refugiados de todo o mundo. Conflitos políticos, guerras e perseguições são as principais causas dos deslocamentos.