PT quer cortar debates em São Paulo

A campanha de Fernando Haddad quer limitar os encontros às emissoras de TV com maior média de audiência

São Paulo – Depois de publicamente reclamar dos cancelamentos de debates que aconteceram no primeiro turno e de convidar o então líder nas pesquisas Celso Russomanno (PRB) para um debate não oficial, a campanha de Fernando Haddad (PT) sugeriu ao comitê de José Serra (PSDB) o corte de metade dos oito debates previstos para as próximas semanas.

O segundo turno ocorre dia 28 de outubro e, até lá, estão previstos oito encontros: na TV Gazeta (dia 15), Bandeirantes (18), SBT (19), RedeTV (21), Record (22), Folha/UOL (25) e Rede Globo (28). A campanha de Haddad quer limitar-se a Globo, Record, SBT e Bandeirantes.

Entre os tucanos também há consenso de que oito debates sobrecarregariam o candidato, mas a campanha ainda não afirmou quais canais deixariam de ser atendidos. No primeiro turno Serra e a Record se desentenderam quando o PSDBista acusou a emissora de cancelar um debate para beneficiar o candidato Russomanno. A Record negou.

Outro debate cancelado foi o da TV Globo, que não queria promover discussão com mais de seis convidados, mas não conseguiu entrar em acordo com Levy Fidelix (PRTB) ou Carlos Gianazzi (PSOL) que, por lei, não podem ser excluídos dos programas em TV aberta. Para o segundo turno, o debate global deve acontecer normalmente.