Professores do Rio se reúnem e descartam nova greve

Paralisação mais recente começou em 12 de maio e se estendeu até 27 de junho, suspensa após reajuste de 9%

Rio – Em assembleia unificada, professores das redes estadual e municipal do Rio de Janeiro decidiram nesta segunda-feira, 7, não entrar novamente em greve.

A paralisação mais recente começou em 12 de maio e se estendeu até 27 de junho, quando foi suspensa após os deputados estaduais aprovarem um reajuste de 9% à rede estadual de ensino.

A categoria reivindicava reajuste salarial e mudanças na estrutura de trabalho.

Os profissionais que mantiveram a greve mais recente mesmo após a Justiça ter declarado ilegal a paralisação tiveram descontos no salário e outras punições, que estão sendo negociadas com o governo.

A assembleia ocorreu no Clube Hebraica, em Laranjeiras (zona sul), e reuniu cerca de mil profissionais da educação.

Antes, uma parte desse grupo fez um protesto em frente à Prefeitura do Rio, no centro da capital.

Embora a proposta de nova greve tenha sido recusada, o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio (Sepe-RJ) mantém um calendário de eventos para manter a categoria mobilizada.