Professores de escolas municipais de Salvador mantêm greve

A paralisação foi definida após os profissionais rejeitarem a contraproposta da Prefeitura de Salvador sobre o pedido de reajuste salarial

Os professores da rede pública municipal de Salvador cruzam os braços hoje (12) pelo segundo dia consecutivo, em paralisação de 48 horas por reajuste salarial e advertência para uma possível greve da categoria.

A paralisação foi definida em assembleia na semana passada, na qual os profissionais rejeitaram a contraproposta da Prefeitura de Salvador e mantiveram o indicativo de greve.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia, “os direitos previstos no plano de carreira não substituem o reajuste” reivindicado pela categoria.

O sindicato informou ainda que a contraproposta do executivo, rejeitada, foi apresentada na terceira rodada de negociações.

Em carta aberta à população, o sindicato informa que os professores municipais estão sem reajuste há dois anos. No mesmo documento, denunciam a ameaça de corte de pontos e de demissões (em casos dos contratados por meio do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda).

Além, do reajuste salarial, os professores reivindicam a liberação das mudanças de nível e melhores condições de trabalho.

Outro lado

Em nota, a Secretaria de Educação do Município de Salvador anunciou que a prefeitura tem conversado com as categorias sobre as reivindicações. A proposta do executivo é a concessão do avanço de referência para todos os servidores efetivos da educação, a partir de setembro de 2017, o que equivale a 2,5% de aumento.

Na nota há uma comparação da média salarial dos professores da rede municipal com o Piso Nacional do Magistério. Segundo a prefeitura, o município paga uma média de R$ 7 mil, enquanto o piso estabelece o valor mínimo de R$ 2.298.

De acordo com a Secretaria de Educação, levantamento realizado nas escolas no primeiro dia de paralisações foi constatado que 37,5% das escolas não funcionaram, enquanto que mais de 60% das unidades escolares tiveram aulas.

De acordo com o sindicato, uma nova assembleia da categoria será realizada na próxima terça-feira (18).