Problemas com torcedores no Maracanã geram processos penais

Justiça do Rio de Janeiro abriu 11 processos penais contra torcedores, por problemas nos quatro jogos da Copa do Mundo realizados no Maracanã

Rio de Janeiro – A Justiça do Rio de Janeiro abriu 11 processos penais contra torcedores, por problemas nos quatro jogos da Copa do Mundo realizados no Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã.

As ações foram abertas a partir de audiências feitas pelo Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos do Tribunal de Justiça, entre os dias 15 e 25 deste mês.

Entre as ocorrências, que geraram a determinação de pagamentos de cestas básicas e multas, estão a de um uruguaio que invadiu o Maracanã sem ingresso e de um francês que jogou seu sapato no campo.

Mais um francês foi detido por desacato a policiais.

Três torcedoras da Argentina foram encaminhadas ao Juizado por porte de maconha.

Em outra situação, a briga entre dois torcedores, um brasileiro e um equatoriano, foi parar na Justiça.

O jogo que teve mais problemas, segundo a Justiça do Rio, foi a partida entre a Espanha e o Chile.

Nesse dia, a Justiça teve que ser acionada, inclusive no episódio da invasão do Maracanã por torcedores chilenos.

O juiz Alexandre Pimentel Cruz determinou que os estrangeiros fossem transferidos para a Cidade da Polícia, com escolta da Polícia Federal.

Em nota, a Justiça do Rio informou ainda que os juizados dos aeroportos registraram 137 reclamações envolvendo cancelamentos (78) e atrasos (59) nos voos nos aeroportos Santos Dumont e Internacional Tom Jobim/Galeão, entre os dias 5 e 23 deste mês.

No Santos Dumont, especificamente, o juizado também recebeu 21 reclamações por extravio, 21 por defeito no serviço, sete por furto e oito por dano e violação de bagagem.