Preferência entre PT e PSDB tem 1º empate técnico em 26 anos

Datafolha faz o levantamento sobre preferência partidária desde 1989 e o PT sempre esteve à frente do PSDB

São Paulo – A preferência do eleitorado brasileiro pelo PT vem oscilando para baixo. Atualmente, 11% dizem ser simpatizantes da sigla da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula – eram 13% na medição do Datafolha em abril e 9% em março.

O PSDB, partido que vem polarizando a disputa presidencial com o PT desde 1994, por sua vez, vem em uma subida e tem agora 9% de preferência entre os eleitores brasileiros – tinha 7% em abril e 6% em março.

O resultado é um empate técnico entre os dois partidos, já que a margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais.

O instituto de pesquisas faz o levantamento sobre preferência partidária desde 1989 e o PT sempre esteve à frente do PSDB. A taxa mais alta de simpatia ao partido foi registrada em abril de 2012, com 31% do eleitorado.

Em março de 2013, antes das manifestações de junho que derrubaram as avaliações de governantes assim como de Dilma, o PT ainda mantinha um patamar alto.

Naquele mês, a sigla chegou a 29% de simpatizantes. Depois disso, veio registrando uma sequência de quedas.

Em 1989, o PSDB tinha 1% de preferência. Em dezembro de 1994, após a consolidação do Plano Real, o índice chegou a 6% e, em novembro de 2007, a 8%, o ponto mais alto do partido até aqui. Desde então, oscilou.

O PMDB, que chegou a liderar a preferência até 1998, aparece agora atrás do PT e do PSDB. O partido do vice-presidente Michel Temer tem hoje 6% de simpatizantes, mesmo número que o registrado em abril.

Em março, o PMDB tinha a preferência de 4% do eleitorado, segundo o Datafolha.

Pontuaram também, nesta edição da pesquisa, PSB, PV e PSOL, cada um com um ponto porcentual de preferência dos eleitores. O Datafolha ouviu 2.840 pessoas em 174 municípios brasileiros entre os dias 17 e 18 de junho.