Prefeitura espera cerca de 70 mil argentinos em São Paulo

Autoridades reforçarão a segurança nos arredores do Itaquerão e o espaço de concentração dos torcedores

São Paulo – A prefeitura de São Paulo preparou um esquema especial para a chegada de 70 mil argentinos para a partida de oitavas de final da próxima terça-feira contra a Suíça na Arena Corinthians.

As autoridades reforçarão a segurança nos arredores do Itaquerão e o espaço de concentração dos torcedores, como já ocorreu na visita da azul-celeste a Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre, onde foram registrados distúrbios isolados.

‘A Polícia Militar acredita que o que ocorreu em outras cidades foram atos isolados. Não acreditamos que teremos maiores problemas e não haverá necessidade de um operação muito incisiva a respeito’, afirmou o secretário de Relações Internacionais da prefeitura de São Paulo, Leonardo Barchini.

O cônsul da Argentina em São Paulo, Agustín Molina Arrambarri, disse que o governo brasileiro, em colaboração com o argentino, já empregou medidas preventivas para evitar problemas.

Segundo cálculos preliminares da Fifa, apenas 10 mil argentinos chegarão com entradas para a Arena Corinthians.

A prefeitura de São Paulo recomendou aos torcedores que não têm entrada que não tentem ir para os arredores do estádio já que não haverá telões para acompanhar o jogo.

Ao contrário das primeiras três partidas do grupo, quando os torcedores argentinos tinham comprado a maioria dos ingressos, para a partida desta terça-feira a maioria é de torcedores locais.

Com a intenção de fazer os ‘hermanos’ se sentirem realmente visitantes, uma campanha está circulando nas redes sociais para que os brasileiros assistam o jogo no estádio de vestidos verde e amarelo.

A Fan Fest, com capacidade para 25 mil pessoas, e o bairro de Vila Madalena se transformaram desde o início do Mundial no ponto de encontro de dezenas de milhares de torcedores estrangeiros.

Mas, diante da multidão nas últimas partidas, a prefeitura de São Paulo recomendou energicamente que os torcedores argentinos se dirijam também a outros pontos da cidade para ver a partida e evitar grandes aglomerações.

‘O bairro já está congestionado. Em cada jogo que acontece na cidade temos uma sobrecarga de pessoas acima da capacidade’, comentou o assessor do Comitê Paulista da Copa, Oswaldo Napoleão.

O governo municipal também informou que habilitou duas zonas para o estacionamento de caravanas: uma no Sambódromo, localizado na zona norte da cidade, e outra no autódromo de Interlagos, na zona sul da capital paulista.

Segundo o cônsul da Argentina em São Paulo, está prevista a chegada de menos de 100 caravanas.