Prefeito decreta situação de emergência em Porto Alegre

Chuvas no Rio Grande do Sul: no estado, quase 147 mil pessoas foram atingidas e cerca de 39 mil casas foram danificadas

O prefeito de Porto Alegre (RS), José Fortunati, decretou hoje (18) situação de emergência na capital gaúcha.

Em nota, Fortunati disse que a medida foi tomada considerando o resultado catastrófico do vendaval da última quarta-feira (14) que atingiu toda a cidade, alagando escolas, destruindo postos de saúde, destelhando casas e provocando outros prejuízos.

Também pesaram na decisão o aumento do nível das águas do Rio Guaíba, a previsão de mais chuvas e ventos fortes na próxima terça-feira (20) e as dificuldades enfrentadas pelas populações carentes das ilhas e do bairro Humaitá com a enchente.  

“Estou decretando situação de emergência para todo o município de Porto Alegre. As equipes da Defesa Civil de Porto Alegre e do estado estão fazendo o levantamento de todos os danos já sofridos para serem apresentados aos governos federal e estadual, para a devida formalização”, disse o prefeito. 

As chuvas que atingem o Rio Grande do Sul desde o início da semana provocaram ontem (17) a segunda maior cheia do Rio Guaíba, alagando grande parte do cais do porto, no centro de Porto Alegre. No estado, quase 147 mil pessoas foram atingidas e cerca de 39 mil casas foram danificadas.

De acordo com a Defesa Civil, o nível do Guaíba chegou ontem a 2,93 metros, ultrapassando a marca registrada em 1967. A maior cheia da história ocorreu em 1941, quando o rio subiu 4,76 metros.

Devido a alta, foram fechadas todas as comportas construídas para tentar evitar que as águas atinjam a capital gaúcha. O nível do Rio Guaíba começou a baixar.

No estado, 100 municípios registraram problemas por causa das chuvas. Cerca de 1.790 famílias ainda estão desabrigadas.