PF se defende; lista dos mais ricos…

Intervenção estadual

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) exonerou os superintendentes da pasta no Paraná e em Goiás, dois dos estados onde foi deflagrada na última sexta-feira a Operação Carne Fraca. A investigação da Polícia Federal apura um esquema de corrupção envolvendo fiscais do ministério e empresas do setor agropecuário. A ordem partiu diretamente do ministro da Agricultura, Blairo Maggi. Ele disse que vai levar servidores de outros estados para cuidar da situação nos locais afetados pela operação e que eles não terão nenhuma vinculação política. Gil Bueno, que comandava os trabalhos da pasta no Paraná, e Julio Cesar Carneiro, em Goiás, foram indicados, respectivamente, por PP e PTB.

Agentes criticam delegado

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Boudens, criticou a atuação do delegado federal Maurício Moscardi Grillo, coordenador da Operação Carne Fraca. Boudens disse que Moscardi “não tem a menor condição” de conduzir uma operação do tamanho da Carne Fraca, principalmente por sua falta de experiência. O delegado entrou para a PF em 2006 e, para Boudens, parte do abalo econômico “desnecessário” causado pela operação deveu-se à atuação de Moscardi. O delegado havia se notabilizado em 2016 ao dizer que o “tempo para prender” o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já tinha passado.

PF defende investigação

A Polícia Federal defendeu a postura tomada pela instituição durante a Carne Fraca. Os investigadores foram criticados depois que diversas fontes apontaram inconsistências nas provas divulgadas. O próprio governo avaliou como espalhafatosa a atitude da PF e que isso havia influenciado negativamente o mercado da carne sem necessidade. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que houve erros técnicos na avaliação dos policiais. Membros da equipe que tocou a operação, no entanto, defendem que ainda existem muitas provas em segredo de Justiça e que, com certeza, a operação terá desdobramentos.

Adriana Ancelmo no presídio

O desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro, revogou a prisão domiciliar da ex-primeira-dama do estado, Adriana Ancelmo. Mulher do ex-governador Sergio Cabral, também preso, Ancelmo deve permanecer em Bangu 8, de onde nem chegou a sair. A decisão em primeira instância havia sido tomada pelo juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava-Jato no Rio. Ancelmo deveria ficar em uma casa que não tivesse acesso à internet ou a telefones e a mudança só aconteceria depois que o imóvel atendesse aos requisitos, mas não houve tempo para preparar a residência para isso antes da revogação.

_

Os mais ricos

Bill Gates, cofundador da empresa de tecnologia Microsoft, liderou mais uma vez a lista das pessoas mais ricas do mundo. O ranking elaborado pela revista americana Forbes calcula que sua fortuna esteja em 86,6 bilhões de dólares. O segundo lugar ficou com o megainvestidor Warren Buffett, dono da gestora de ativos Berkshire Hathaway, com 75,6 bilhões de dólares. O terceiro lugar foi para Jeff Bezos, da companhia de comércio eletrônico Amazon, com 72,8 bilhões de dólares. A lista deste ano, em sua 31a edição, inclui 2.043 pessoas com uma fortuna superior a 1 bilhão de dólares, 233 a mais do que na lista anterior.

_

Os brasileiros mais ricos

O empresário Jorge Paulo Lemann é o brasileiro mais bem colocado na lista da Forbes, ocupando a 22a posição, com uma fortuna de 29,5 bilhões de dólares. Joseph Safra, cujo Banco Safra administra a fortuna de clientes de alto patrimônio líquido no país, é o segundo brasileiro mais bem colocado (38) e também o banqueiro mais rico do ranking, com 20,5 bilhões de dólares. Entre os brasileiros estão, em seguida, os sócios de Lemann no fundo 3G Capital: Marcel Herrmann Telles (73), com 14,9 bilhões de dólares, e Carlos Alberto Sicupira (96), com 12,7 bilhões de dólares.

_

FBI: Rússia interferiu 

O diretor do FBI, James Comey, disse ter certeza que a Rússia tentou interferir nas eleições americanas, prejudicando a democrata Hillary Clinton. “Putin odiava tanto a secretária Clinton que, por consequência, tinha uma preferência clara pela pessoa concorrendo”, disse Comey, em pronunciamento no Congresso. Ele confirmou ainda que uma investigação está em andamento para verificar se houve conversas entre a equipe do presidente Donald Trump e a Rússia nas eleições. Diversos membros do gabinete do presidente já foram acusados de terem se encontrado com o embaixador russo em Washington. O governo russo nega qualquer participação. Em outro caso, na semana passada, dois hackers russos e dois espiões da agência de inteligência russa foram condenados pelo Departamento de Justiça por ter invadido sistemas do Yahoo em 2014.

_

Data para o Brexit

O governo britânico informou à União Europeia que vai dar início oficial ao processo de saída do bloco — o Brexit — no próximo dia 29 de março, depois de ter obtido permissão do Parlamento na semana passada. A primeira-ministra Theresa May iniciou uma viagem por regiões que compõem o Reino Unido para falar sobre o processo, com o objetivo de conseguir apoio da população e de líderes locais. A primeira parada foi o País de Gales, e também estão no roteiro Escócia e Irlanda do Norte. “Quero o melhor acordo para todas as partes do Reino Unido”, disse a premiê.

_

Morte de Rockefeller

O bilionário americano David Rockefeller morreu nesta segunda-feira, aos 101 anos. O motivo foi uma falência cardíaca. Ex-presidente do banco Chase Manhattan Corp. — hoje parte do JPMorgan —, ele era o membro vivo mais velho da tradicional família Rockefeller: seu avô fundou a Standard Oil, uma das maiores refinarias do início do século 20, e seu pai criou o Rockefeller Center, conhecido complexo de edifícios comerciais em Nova York. A fortuna de David Rockefeller é estimada em 3,3 bilhões de dólares pela revista Forbes.