PF pede prorrogação da prisão de ex-assessor de Temer

Ele é investigado da Operação Panathenaico - inquérito sobre desvios de quase R$ 1 bilhão nas obras do Estádio Mané Garrincha, em Brasília

São Paulo – A Polícia Federal pediu nesta sexta-feira, 26, a prorrogação da prisão temporária dos 10 investigados da Operação Panathenaico – inquérito sobre desvios de quase R$ 1 bilhão nas obras do Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

O pedido inclui o ex-assessor especial do presidente Michel Temer, Tadeu Fillipelli, e os ex-governadores do DF José Roberto Arruda (PR) e Agnelo Queiroz (PCdoB).

A Panathenaico foi deflagrada na terça-feira, 23, por ordem do juiz Vallisney Souza, da 10.ª Vara Federal de Brasília.

O ex-assessor de Temer, os ex-governadores e outros sete investigados foram todos presos em regime temporário, por cinco dias.

O pedido da PF para prorrogação do prazo da temporária foi feito com base na análise prévia das apreensões e depoimentos tomados.

A PF avaliou existirem “os pressupostos necessários à prorrogação das medidas”.