Paulistanos reclamam da falta de água e de energia elétrica

Apesar de o fornecimento de energia já ter sido normalizado, moradores de bairros atendidos por estação elevatória da Sabesp ainda reclamam da falta de água

São Paulo – Apesar de o fornecimento de energia já ter sido normalizado, moradores de bairros atendidos pela estação elevatória João XXIII, da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), que tiveram abastecimento de água prejudicado ontem (22), reclamaram hoje (23) da falta de água, e se disseram prejudicados, apesar de o bombeamento de água do equipamento ter sido retomado.

A Estação Jardim São Luiz também parou, e também teve o funcionamento restabelecido e normalizado.

O responsável por um açougue reclamou que sem luz, durante todo o dia, quase perdeu parte da mercadoria estocada.

“Não pudemos atender os clientes, e ficamos sem refrigeração para manter a temperatura da carne. Não perdemos porque não tiramos da geladeira para expor no balcão”, explicou. De acordo com ele, também houve falta de água, o que compromete a limpeza do local e pode obrigar o estabelecimento a baixar as portas até a normalização.

A dona de casa Inês Aparecida dos Santos disse qure o prédio em que ela mora ficou sem energia elétrica, mas tinha água. “Não fiquei sem água porque no prédio tem reservatório, e a falta de luz não me atrapalhou porque fico em casa”.

A costureira Antônia Moreno Lombardo ficou sem luz durante 24 horas e só teve o serviço normalizado às 4h de hoje.

“Fiquei com o serviço atrasado e tive que sentar à máquina de costura muito mais cedo do que o normal para conseguir colocar [as costuras] em dia”. Segundo ela, não houve falta de água em sua casa porque ela tem um reservatório com boa capacidade.

A dona de uma fábrica de cortinas Lúcia Cavalcanti contou que teve que dispensar as funcionárias às 15h, porque não havia possibilidade de dar continuidade ao trabalho.

“Eu tinha serviço para entregar hoje, e não pude entregar. Muita gente nos procurou ontem, e não tivemos como responder os e-mails ou mesmo atender aos telefonemas”. Ela também está sem água, mas não foi tão prejudicada porque não tinha encomendas de lavagem de cortina.

A moradora Creuza Lima reclamou que faltou luz em sua casa durante todo o dia, e disse que desde ontem as torneiras estão com apenas um fio de água. “Por causa disso houve vandalismo na rua de cima, e eu cheguei depois da meia-noite em casa, porque o ônibus não estava passando no ponto normal. Este bairro está terrível ultimamente”, acrescentou.

O desempregado Juarez Alexandrino da Cruz, também morador do Jardim São Luiz,  reclamou porque também ficou sem luz e sem água.

“A luz já voltou, mas a água não, e é muito ruim, porque temos crianças em casa. Fica difícil para dar banho, fazer comida. Ninguém fala nada, mas fiquei sabendo que foi porque não tem energia para bombear a água. Não temos para quem reclamar de nada disso”, enfatizou.

A Sabesp informou, por meio de nota, que o fornecimento de energia elétrica foi restabelecido nas estações elevatórias de água que abastecem parte das zonas oeste e sul de São Paulo, parte de Cotia e todos os bairros de Taboão da Serra, Embu, Embu-Guaçu e Itapecerica da Serra.

“Dessa forma, o abastecimento de água na região da elevatória São Luiz já foi retomado. Na região atendida pela elevatória João XXIII, o abastecimento está em fase de recuperação, com previsão para ser normalizado durante a próxima madrugada”, diz a nota.

Segundo a Sabesp, 640 mil pessoas são atendidas pela João XXIII, e não significa que todas tenham ficado sem água.

A empresa informou ainda que não há como quantificar exatamente quantas pessoas ficaram sem nenhum litro de água, porque tudo depende da forma de armazenagem de cada residência.