Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 -0,61%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Os 7 maiores terremotos que já ocorreram no Brasil

O Brasil não é uma região vulnerável a sofrer esses tipos de abalo, pois está localizado no centro da placa aqui da América do Sul.

Os terremotos são fenômenos que podem ser causados por falhas geológicas, vulcanismos e, principalmente, pelo encontro de diferentes placas tectônicas. A maioria dos abalos sísmicos é provocada pela pressão aplicada em duas placas contrárias. O Brasil não é uma região vulnerável a sofrer esses tipos de abalo, pois está localizado no centro da placa aqui da América do Sul. Apesar disso, já houve vários casos de terremotos no país. E a gente lembrou dos 7 maiores ocorridos por aqui:

7. Mato Grosso (1955)

Em janeiro de 1955, no Mato Grosso, mais precisamente na Serra do Trombador, foi detectado um terremoto de 6,6 graus na escala Richter, o maior registrado na história do Brasil. O abalo ocorreu em região muito pouco habitada, o que não ocasionou em mortes nem em danos materiais.

6. Espírito Santo (1955)

No mesmo ano, a cidade de Vitória-ES foi atingida por um abalo sísmico de 6,3 graus na escala Richter. A reação das pessoas foi de susto e as casas apemas balançaram. Não há nenhum registro de ferimentos ou danos.

5. Rio Grande do Norte (1980)

João Câmara, município do Rio Grande do Norte, foi atingido por uma série de terremotos na década de 1980. O mais grave deles ocorreu em novembro de 1986, quando a cidade tremeu com um tremor de 5,1 graus na escala Richter, provocando a destruição de 4 mil imóveis.

4. Pacajus, Ceará (1980)

Na mesma década, Pacajus, na Região Metropolitana de Fortaleza, viveu na pele os efeitos de um terremoto com magnitude de 5,2 na Escala Richter e foi sentido na Capital.

3. Itacarambi – MG (2007)

O tremor na localidade de Caraíbas, no município de Itacarambi, no norte de Minas Gerais, atingiu 4.9 na escala Richter. Apesar de uma magnitude não tão grande, uma criança de 5 anos morreu e seis pessoas ficaram feridas. Além disso, pouco mais de 5 casas caíram em função do terremoto.

2. Divisa entre Acre e Amazonas: 6,1 graus (2007)

Um terremoto de 6,1 graus na escala Richter foi registrado entre os estados de Acre e Amazonas em 2007. Não houve registros de mortos e feridos nem danos materiais, apenas depoimentos de pessoas que sentiram o tremor.

1. São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Rio de Janeiro. (2008)

Um terremoto de 5,2 graus de magnitude na escala Richter atingiu diversas regiões de São Paulo. Não houve registros de acidentes. O mais interessante (ou aterrorizante) é que o tremor refletiu nos estados do Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Santa Catarina. 

A classificação de tremores da Escala Richter

3 a 3,9
São percebidos pelos humanos mas não causam danos materiais
Freqüência mundial: 50 mil por ano

4 a 4,9
Têm maior intensidade e, eventualmente, provocam estragos em carros e vidros
Freqüência mundial: 8 mil por ano

5 a 5,9
Causam danos em construções sólidas. Podem provocar rachaduras
Freqüência mundial: 1 500 por ano

6 a 6,9
Causam estragos em um raio de 100 quilômetros. Destroem pontes e estradas
Freqüência mundial: 150 por ano

7 a 7,9
São dez vezes mais fortes que os terremotos de magnitude 6
Freqüência mundial: 20 por ano

8 em diante
São catastróficos. Destroem cidades inteiras e causam milhares de mortes
Freqüência mundial: um a cada oito meses