Sorocaba - A Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), principal ligação entre o Sudeste e o Sul do país, tem dez pontes parcialmente interditadas entre São Paulo e Curitiba.

As interdições afunilam o tráfego e aumentam o tempo de viagem, mas são necessárias para obras de reparos e reforço estrutural das pontes, de acordo com a Concessionária Autopista Régis Bittencourt. A estrada é um importante corredor de cargas e recebe trânsito pesado - 70% do volume de tráfego é de caminhões.

Segundo a concessionária, as obras de reforço, reforma e alargamento das pontes visam aumentar a capacidade das estruturas e reduzir o risco de acidentes.

No dia 12, parte da cabeceira da ponte sobre o Rio Ribeira de Iguape, em Registro, no Vale do Ribeira (SP), caiu com as chuvas e a pista foi interditada. Em 2005, uma ponte desabou no quilômetro 43 da Régis Bittencourt, no trecho do Paraná, e um caminhão despencou na Represa do Capivari. Uma pessoa morreu e três ficaram feridas.

Na pista sul, sentido capital paranaense, estão em obras pontes sobre os Rios Ribeira de Iguape, no km 443, e Guarapiranga, no km 446, os dois em Registro. Mais adiante, no km 457, o motorista encontra parcialmente fechada para obras a ponte sobre o Rio Jacupiranga, em Jacupiranga.

Em Cajati, próximo da divisa com o Paraná, estão em obras as pontes sobre o Rio Guaraú, no km 482, e sobre o Córrego Fernandes, no km 489. Já no trecho paranaense, no km 5,5, uma faixa está bloqueada na ponte sobre o Rio Timbu.

A ponte sobre a Represa do Capivari no km 42 está interditada nos dois sentidos. O tráfego é desviado para a outra ponte, que teve o sentido de direção invertido numa das faixas. No sentido capital paulista, as interdições de faixas ocorrem nas pontes sobre os Rios Atuba, no km 18, em Curitiba, Pinhal, no km 69, e Lapinha, no km 40, as duas últimas em Campina Grande do Sul (PR).

Já no trecho paulista, há interdição parcial na passagem sobre uma linha férrea, no km 383, em Miracatu. Segundo a Autopista Régis Bittencourt, embora cada obra tenha um cronograma, todas as reformas devem estar concluídas até fevereiro.

Tópicos: Estradas, Setor de transporte, Transportes, Infraestrutura, Trânsito, Mobilidade urbana