São Paulo - Começa a funcionar nesta segunda-feira (15), em Recife, o primeiro sistema de compartilhamento de carros elétricos do Brasil.

A ação segue a tendência mundial de busca por uma mobilidade urbana mais sustentável, que já é adotada em cidades como Paris, Londres e Berlim. 

Amanhã, inicia a fase de testes, na qual 20 pessoas previamente selecionadas poderão utilizar os veículos, da marca chinesa Zhidou, que estarão dispostos em três estações.

Compactos e donos de um "visual simpático", cada carro tem capacidade para dois passageiros, é 100% elétrico e possui autonomia para rodar até 100 Km. 

Os pontos serão monitorados à distância e cada veículo contará com um chip que vai se comunicar com o sistema de controle, informando quando o carro for retirado.

Em março de 2015, o sistema ganhará outras três novas estações de compartilhamento. 

O sistema de empréstimos é parte do projeto do parque tecnológico Porto Digital e seu funcionamento será semelhante ao implantado para as bicicletas, popular em várias capitais do Brasil.

CARONA AMIGA

Para utilizar o sistema de compartilhamento de carros elétricos, o usuário precisa ter idade superior a 18 anos e possuir carteira de habilitação válida e cartão de crédito.

É necessário baixar o aplicativo do Porto Leve e realizar um cadastro prévio. O sistema vai exigir cadastramento e confirmação de dados pessoais e possibilitará a renovação automática por meio de autorização na modalidade cartão de crédito.

O único plano de utilização será o mensal, no valor de R$ 30, além de uma taxa extra para cada corrida. Se o usuário não oferecer carona, essa taxa é de R$ 20.

A carona, inclusive, é uma das inovações do sistema brasileiro.

Se o motorista, no momento da reserva, optar por dar carona, o valor da viagem será rateado entre ele e o "caroneiro", que também deverá estar cadastrado no sistema.

Em caso de carona para outro usuário do aplicativo, o valor será dividido entre ambos. Se o motorista oferecer a carona e, mesmo assim, nenhum interessado se manifestar em 15 minutos de tolerância, também paga R$ 10.

Ainda é preciso pagar uma taxa extra, caso o motorista ultrapasse os 30 minutos permitidos para a utilização do veículo. Por cada minuto adicional será cobrado R$ 0,75.

Tópicos: Carros, Carros elétricos, Veículos, Carros verdes, Autoindústria, Guia de Carros, Recife, Cidades brasileiras, Sustentabilidade