São Paulo - O acordo de delação premiada fechado por Danielle Fontelles, sócia da agência Pepper Interativa- que é ligada ao PT, foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF). A colaboração foi revelada pela coluna Radar, da revista VEJA.

Segundo informações do jornal O Globo, os trechos enviados à Corte trazem referências à presidente Dilma Rousseff (PT) e ao governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. Agora, caberá ao STF decidir se abrirá, ou não, uma investigação sobre o caso. 

A agência de propaganda, investigada pela Polícia Federal na Operação Acrônimo, teria recebido pagamentos oriundos de desvios de recursos públicos que serviriam de caixa para a campanha de Pimentel e de Dilma em 2010 e 2014. 

De acordo com pessoas próximas à investigação, Danielle acertou com os investigadores implicar o governador em sua delação, que já é alvo de investigação da PF.

A publicitária fez o acordo logo após os executivos da Andrade Gutierrez terem revelado que para financiar as campanhas, um contrato fictício de prestação de serviços foi feito entre a empreiteira e a Pepper. O valor supera R$ 6,5 milhões. 

Tópicos: Empresas, Andrade Gutierrez, Holdings, Empresas brasileiras, Corrupção, Escândalos, Fraudes, Dilma Rousseff, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Lavagem de dinheiro, Operação Lava Jato, Polícia Federal