Aguarde...

Coletiva | 17/06/2013 21:57

Protestos se espalham e manifestantes ocupam Congresso

Mais de 200 mil pessoas tomaram as ruas de diversas capitais do Brasil nesta segunda-feira, na maior manifestação popular no país em pelo menos 20 anos

REUTERS/Ueslei Marcelino

Manifestantes no Congresso Nacional, em Brasília

Segundo declarações de manifestantes, o aumento da passagem foi apenas o episódio que deflagrou a onda de reivindicações

São Paulo - Mais de 200 mil pessoas tomaram as ruas de diversas capitais do Brasil nesta segunda-feira, na maior manifestação popular no país em pelo menos 20 anos. As reivindicações, inicialmente contra a alta na tarifa do transporte público, agora incluíram o combate à corrupção e até os gastos com a Copa do Mundo de 2014.

A onda de protestos, turbinada pelas redes sociais, também deu voz a críticas sobre a ação policial da semana passada, que terminou com dezenas de prisões e feridos, especialmente na capital paulista.

Apesar de a manifestação ter ocorrido de forma pacífica na maioria das cidades, no Rio a Assembléia Legislativa foi alvo de ataques, houve embates com policiais, e em Brasília os manifestantes invadiram a área do Congresso Nacional e no Palácio do Planalto a segurança foi reforçada.

A gigantesca onda de protestos em todo o país fez com que a presidente Dilma Rousseff se manifestasse por meio da ministra-chefe da Secretaria de Comunicação, Helena Chagas.

De acordo com a ministra, a presidente "considera que as manifestações pacíficas são legítimas e são próprias da democracia e que é próprio dos jovens se manifestar".

Os protestos ganharam força e se disseminaram principalmente depois da quinta-feira passada, quando a manifestação em São Paulo tornou-se violenta com confrontos entre policiais e manifestantes e denúncias de abusos que teriam sido cometidos pela Polícia Militar.

Na capital paulista, a concentração dos manifestantes ocorreu no Largo da Batata, zona oeste do município. Eles se dividiram e rumaram para Avenida Paulista e Marginal Pinheiros, num contingente estimado em 65 mil pessoas, segundo a Polícia Militar.

"Estamos aqui por causa da insatisfação com a corrupção e o mau uso do dinheiro público. Isso é uma revolta que devia ter acontecido há muito tempo", disse um manifestante que se identificou apenas como Gustavo, de 34 anos, que estava enrolado em uma bandeira do Brasil.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados