São Paulo — O maior protesto já registrado no Brasil. Esse é o balanço dos atos contra a presidente Dilma Rousseff realizados neste domingo (13) em mais de cem cidades em todos os estados brasileiros.

Em São Paulo, segundo o Instituto Datafolha, as manifestações  reuniram mais pessoas na Avenida Paulista, em São Paulo, do que as Diretas Já, em 1984. No total, segundo cálculos do Instituto, cerca de 500 mil pessoas se aglomeraram na região. Já a manifestação pelas Diretas Já reuniu 400 mil pessoas. 

Segundo a Polícia Militar, 1,4 milhão de pessoas estavam na região da avenida Paulista por volta das 16h30 deste domingo. 

Os dados de hoje superam também o recorde de público registrado no protesto do dia 15 de março do ano passado – quando cerca de 210 mil pessoas, segundo cálculos do Datafolha, se concentraram na avenida Paulista em protesto contra o governo. Os números do Datafolha, no entanto, tendem a ser mais modestos do que os divulgados pela Polícia Militar, que há um ano calculou 1 milhão de pessoas na região. 

Create line charts 

Em todo o Brasil, a estimativa da PM é de que 3 milhões de pessoas foram às ruas com esse propósito. Os organizadores, por sua vez, calculam 6 milhões de manifestantes.

Independentemente de qual cálculo está correto, o fato é que especialistas consultados por EXAME.com acreditam que a presidente Dilma entra na noite deste domingo ainda mais enfraquecida.

"Houve uma demonstração impressionante da massa popular de que ela não tem apoio — o que significa um acréscimo na falta de legitimidade para a presidente", afirma Roberto Romano, professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

A onda de protestos acontece em um dos momentos mais dramáticos do segundo mandato de Dilma, com o avanço das investigações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ameaça do PMDB de deixar a base de apoio ao governo.

Em outros termos: com tanta gente na rua contra o PT, "o governo Dilma fica ainda mais desolado do que já estava", segundo análise de Paulo Baia, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

* Atualizado às 12h do dia 14 de março para incluir novo balanço do Datafolha. 

Tópicos: Dilma Rousseff, Personalidades, Políticos, Políticos brasileiros, PT, Política no Brasil, Impeachment, Protestos, Protestos no Brasil