São Roque (SP) – A vistoria feita hoje (24) por uma comissão da prefeitura de São Roque no Instituto Royal, invadido por ativistas na madrugada de sexta-feira (18), não constatou irregularidades.

Segundo o prefeito Daniel de Oliveira Costa, que participou da visita, não há razões para que o alvará da empresa seja cassado.

A comissão levou fiscais da Vigilância Sanitária do município, servidores do Departamento de Planejamento e Meio Ambiente, além de advogados da administração municipal. A imprensa e ativistas não puderam entrar. De acordo com o prefeito, a entrada foi autorizada pela própria diretoria do instituto.

O prefeito informou que as condições estruturais do prédio eram muito satisfatórias. “A estrutura era invejável, com azulejo até o teto, tudo bem limpo. Os animais muito bem cuidados. O que nós vimos lá nos surpreendeu para melhor”, declarou.

No local, segundo o prefeito, sobraram dezenas de ratos, que são usados como cobaias em testes laboratoriais. Havia de 30 a 40 gaiolas, cuidadas por dois funcionários se revezam durante 24 horas.

“Estavam aparentemente bem cuidados, bem alimentados”, disse. Além dos ratos, o laboratório fazia testes em cães da raça beagle e coelhos, que foram levados durante a invasão por ativistas.

O prefeito comentou também sobre um porão onde ativistas suspeitam que fosse usado para maus-tratos e sacrifícios dos animais.

“Isso não existe. Não vi nenhuma atividade, nenhum indício de maus-tratos”, disse o prefeito. Durante a invasão, os ativistas retiraram do instituto 178 cães da raça beagle.

Tópicos: Animais, Fiscalização, Irregularidades