São Paulo – Aulas pouco atrativas, falta de infraestrutura nas escolas ou necessidade de conciliar os estudos com o trabalho são apenas alguns fatores que podem explicar o que leva um adolescente a abandonar a escola. No Brasil, 7,6% dos jovens matriculados no ensino médio desistem das aulas antes de se formarem. 

O percentual, considerado alto, já foi bem pior – em 2006, por exemplo, 15,3% dos jovens matriculados nesta etapa abandonaram os estudos.

O momento em que mais gente sai das escolas é o 1° ano do ensino médio. A explicação, segundo especialistas, é que muitos jovens chegam a um novo ciclo sem o conhecimento básico da etapa anterior. Ao encontrar dificuldades para acompanhar o conteúdo ministrado em aula, acabam deixando as aulas de lado.

Longe das escolas, esses meninos e meninas terão muito menos chances no mercado de trabalho e poderão receber salários até 35% menores se comparados aos que conquistaram o diploma do ensino médio.

Raio-x dos estados

O Pará é quem lidera a lista dos estados com o maior percentual de adolescentes que abandonam o ensino médio. No 1° ano, por exemplo, quase 20% dos adolescentes paraenses deixam a sala de aula. Na outra ponta, aparece o Pernambuco – onde 3,2% dos jovens desistem dos estudos. 

No gráfico abaixo, você encontra a taxa média de abandono do ensino médio em cada estado. Ela é calculada a partir do índice de desistência do 1° ao 4° ano (no caso de ensino técnico). Na conta, também entra o percentual de jovens que abandonam as salas não-seriadas (quando não há separação por ano).

Os dados do Inep/MEC se referem ao ano de 2014 e foram analisados pelo Todos pela Educação. 

Tópicos: Educação, Ensino médio, Estados brasileiros