São Paulo - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, nomeou nesta sexta-feira o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz como comandante da missão de paz do órgão na República Democrática do Congo, segundo maior país da África, informou a ONU em nota.

Santos Cruz foi comandante da missão de paz da ONU no Haiti, comandada pelo Brasil, entre 2007 e 2009. Com 40 anos de experiência militar, atualmente era como assessor especial do ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.

Criada em 2010 por uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, a missão de paz na República Democrática do Congo, conhecida pela sigla em inglês Monusco, tem como meta principal proteger os civis e colaborar com as operações do Exército congolês.

Na República Democrática do Congo, no início deste mês, por exemplo, a ONU confirmou que membros das Forças Armadas realizaram um estupro em massa contra 97 mulheres e 33 meninas, algumas delas com seis anos de idade, segundo um relatório da entidade.

Um relatório da ONU também acusa os rebeldes do grupo M23 de realizar diversas violações aos direitos humanos contra a população civis em áreas ocupadas por eles, assim como membros das Forças Armadas que se renderam.

Santos Cruz comandará um contingente de cerca de 17.200 militares. A Monusco conta também com 505 observadores militares e 1.393 policiais.

De acordo com o site da missão de paz na Internet, atualmente o Brasil não tem contingente na Monusco. Ainda de acordo com informações do site da missão, 55 membros da Monusco já morreram desde o início da missão.

Tópicos: Dados de Brasil, América Latina, ONU, África